Em julho a polícia de Dallas, nos EUA, usou um pequeno rover como arma para matar um atirador que já tinha assassinado cinco pessoas. Na prática este robô transportava uma pequena bomba e fez-se detonar assim que se aproximou do atirador. O caso foi amplamente debatido: a polícia disse que era a melhor opção para não colocar nenhum dos agentes em perigo, mas houve ‘choque’ por ser a primeira vez que uma força de segurança como a polícia usava um sistema tão sofisticado para matar. O debate sobre os ‘robôs assassinos’ aumentou de tom, sobretudo porque existe um receio de que no futuro, quando estas máquinas forem autónomas e controladas por ferramentas de inteligência artificial, algo possa correr mal. A Organização das Nações Unidas (ONU) comprometeu-se a trabalhar este tema e no próximo ano terá um grupo dedicado a pensar quais os limites e qual o futuro para estes robôs-arma.

Bom fim de semana.

Vine vai continuar a viver como uma aplicação para captar vídeos: A rede social vai mesmo chegar ao fim, mas a aplicação não. O Twitter decidiu que as apps móveis vão passar a chamar-se Vine Camera, permitindo que os utilizadores continuem a captar vídeos de seis segundos através desta ferramenta. Os resultados depois terão é de ser partilhados noutras redes sociais. O Twitter também está a tentar convencer os utilizadores do Vine a seguirem as suas pessoas preferidas no Twitter.
Fonte: The Verge




Nações Unidas vão debater robôs assassinos no próximo ano: Em 2017 haverá um grupo de especialistas que vai ter a seu cargo a análise de todas as questões associadas ao desenvolvimento de robôs que têm capacidade para matar humanos. A ONU responde assim a uma carta assinada por centenas de especialistas – Elon Musk, Stephen Hawkin e Steve Wozniak estão entre os signatários – que pedem um bloqueio destas ferramentas, mesmo em situações de combate.
Fonte: Recode

Revelados detalhes do primeiro voo – e acidente – do drone do Facebook: Quando o Aquila voou pela primeira vez o Facebook disse que a operação tinha sido um sucesso. Esqueceu-se foi de indicar que também tinha havido um sério contratempo. Agora um relatório do regulador dos transportes dos EUA concluiu que na fase de aterragem uma asa do drone partiu devido à falta de aerodinâmica. Houve também uma falha de software que contribuiu para o acidente. O Facebook já disse ter corrigido o sistema de pilotagem automática e vai colocar um ‘travão de ar’ no drone.
Fonte: CNet

Lenovo vai lançar versão Chrome OS do Yoga Book: O formato pouco comum e as características únicas tornam o Yoga Book num dos gadgets de 2016. Agora a Lenovo confirmou que pretende dar continuidade a esta aposta, sendo o primeiro passo a disponibilização de uma versão com o Chrome OS, o sistema operativo da Google baseado em cloud para portáteis. Também no Chrome OS o computador vai manter as suas características de desenho.
Fonte: Laptop Magazine

Huawei Honor Magic serve para a empresa ‘apalpar’ terreno: A tecnológica chinesa já tinha lançado equipamentos interessantes sobre a marca Honor durante 2016, mas não quis terminar o ano sem anunciar um novo dispositivo. O Honor Magic experimenta um novo design e novas tecnologias: como o ecrã arredondado em três extremidades e um assistente digital que não mostrará as notificações se não reconhecer quem está a pegar no telemóvel. Algumas destas funcionalidades poderão vir a integrar futuros equipamentos da linha principal, a Huawei P.
Fonte: Engadget

Sem mais artigos