Começa a ser um cenário recorrente: após um atentado terrorista, há quem venha a público exigir às tecnológicas alguma flexibilidade no acesso às comunicações encriptadas. Desta vez foi um elemento do governo do Reino Unido a fazer este pedido. A ideia que passa cá para fora é que se tivessem uma forma de aceder às comunicações encriptadas, talvez pudessem ajudar a evitar casos como o que aconteceu na semana passada em Londres. Curiosamente ou não, aqueles que mais têm feito estes pedidos – EUA, Reino Unido – são aqueles que têm um maior historial de violação de privacidade dos seus cidadãos. A segurança nacional é de facto um tema de extrema importância, mas a privacidade dos cidadãos não é? Se houvesse uma maior confiança na forma de atuar dos serviços secretos de alguns países talvez o diálogo fosse outro. Mas se o mundo está cada vez mais fechado para o FBI, a CIA e GCHQ, estas organizações devem em primeiro lugar assumir a sua grande culpa por esta situação.

Boa segunda-feira.

Reino Unido quer aceder a serviços encriptados como o WhatsApp: A secretária de estado dos assuntos internos do Reino Unido, Amber Rudd, considera que serviços como o WhatsApp deviam garantir às autoridades uma forma de acesso às comunicações encriptadas da plataforma. Amber Rudd considera inaceitável que haja terroristas a comunicarem através das aplicações de messaging e não haja abertura por parte das empresas na partilha desses dados. As declarações surgem após o Reino Unido ter sofrido um atentado terrorista que causou cinco mortos, incluindo o atacante, e 50 feridos.
Fonte: Forbes




Google oferece uma aplicação Android por semana, mas apenas nos EUA: Vários meios de comunicação estão a relatar uma novidade interessante para os utilizadores do Android – a Google criou uma secção na Play Store onde vai oferecer uma aplicação todas as semanas. A Google iguala assim a Apple que já oferece uma aplicação por semana no iOS há alguns anos. Acontece que esta ‘oferenda’ da Google apenas está disponível por agora nos EUA. Ainda não é certo se a tecnológica tenciona alargar a ‘aplicação da semana’ a outros países e quando poderá fazê-lo.
Fonte: Android and Me

Amazon considera abrir lojas de eletrónica e com experiências de realidade aumentada: Para uma empresa que construiu o seu império exclusivamente através da internet, a Amazon parece bastante interessada em lojas físicas. Depois da abertura de livrarias e também do supermercado do futuro, a empresa liderada por Jeff Bezos estará a considerar a abertura de lojas de eletrónica. Estas lojas podem seguir um conceito semelhante ao das Apple Store, com a Amazon a colocar um grande destaque nos seus produtos – sobretudo nas Echo. As informações apuradas dizem ainda que a Amazon está a considerar abrir uma loja de mobiliário onde os utilizadores poderão ter experiências de realidade aumentada.
Fonte: The New York Times

Blizzard vai relançar StarCraft em 4K: StarCraft e StarCraft: Brood War, lançados em 1998 pela Blizzard, vão receber uma atualização tecnológica. O jogo e a expansão vão ser remasterizados para apresentarem gráficos em 4K. O estúdio revelou que além dos visuais vão existir remasterizações no áudio, nas animações e melhorias noutros elementos do jogo, como poder guardar o progresso na cloud. StarCraft: Remastered ainda não tem data de lançamento definida, mas a Blizzard diz que o jogo ficará disponível durante o verão.
Fonte: The Verge

Huawei vendeu 12 milhões de unidades do P9 e P9 Plus: A Huawei tem figurado no top das marcas que mais smartphones vendem em todo o mundo, incluindo no segmento topo de gama. Apesar da forte concorrência da Apple e da Samsung, a tecnológica chinesa está a conseguir resultados interessantes neste segmento. A Huawei anunciou já ter vendido 12 milhões de unidades do P9 e do P9 Plus, sendo que dois milhões de smartphones foram comercializados desde dezembro.
Fonte: Playfuldroid

Sem mais artigos