Se olharmos apenas para os números de utilizadores dos serviços de música por streaming podemos estar a perder metade do panorama. O Tidal terá três milhões de subscritores, o Apple Music perto de 20 milhões e o Spotify tem 50 milhões. O Spotify é o vencedor certo? Nim. O Spotify tem outros 50 milhões de utilizadores que ouvem música e não pagam, um valor que preocupa de sobremaneira as grandes editoras. O Tidal e o Apple Music até podem ter menos ‘pagantes’, mas 100% dos seus utilizadores pagam pelos serviços. Além disso, estas duas plataformas foram transformadoras sobretudo na área dos álbuns exclusivos. Agora o Spotify sente-se tentado a seguir também esta tendência. Ao garantir álbuns exclusivos para a sua plataforma, apenas estarão disponíveis para os subscritores. As editoras certamente vão ficar contentes, mas e os 50 milhões de utilizadores no modelo freemium?

Boa sexta-feira.

Google cria um algoritmo que reduz tamanho dos JPEG em 35%: A tecnológica norte-americana tem um grande interesse para que os principais conteúdos usados na internet, como as imagens no formato JPEG, sejam o mais pequenos possíveis para que o tempo de carregamento seja também o mais reduzido possível. Agora a Google anunciou a criação de um novo algoritmo open source que permite reduzir em 35% o tamanho destes ficheiros. O algoritmo tem o nome de Guetzli e na prática trabalha a perceção da cor para manter a qualidade da imagem, mas reduzindo o seu tamanho.
Fonte: Engadget




Sony cria conceito que permite carregamento wireless entre smartphones: A tecnológica japonesa submeteu uma patente na qual detalha um sistema que permite transferir energia entre smartphones e sem a utilização de cabos. A ideia é usar a bateria interna dos equipamentos como um carregador wireless para outros equipamentos. O sistema não precisaria de cingir-se apenas a smartphones e também contempla uma ferramenta para descobrir numa determinada área quais equipamentos seriam elegíveis para um carregamento de energia.
Fonte: The Next Web

Spotify vai restringir alguns álbuns apenas para os subscritores: Voltam a surgir informações de que o Spotify vai deixar de disponibilizar exatamente o mesmo catálogo aos utilizadores gratuitos e pagos do serviço. Quem paga pelo Spotify passará a ter acesso a álbuns exclusivos. O objetivo é que mais pessoas se sintam tentadas a pagar pela plataforma de música. Esta foi uma cedência que o Spotify alegadamente teve de fazer na renegociação dos direitos com as editoras de música.
Fonte: The Verge

Sistema de condução autónoma da Uber ainda está muito ‘verde’: Vários documentos internos da Uber revelam que os seus veículos autónomos têm aumentado de forma significativa o número de milhas que percorrem na estrada – no início do ano eram cerca de 8.000 Km por semana, no início de março rondavam 32 mil Km. No entanto, os veículos da Uber precisam de intervenção dos condutores a cada 1,2 quilómetros, revelam os documentos. Quando o ponto de análise são intervenções humanas que evitaram danos ao veículo, então a taxa de intervenção sobe para os 320 quilómetros.
Fonte: Recode




Nintendo vai duplicar produção da Switch: A consola da Nintendo está a ser bem recebida pelo mercado, de tal forma que a empresa tenciona duplicar a produção da Switch para o próximo ano fiscal. Entre abril de 2017 e abril de 2018 a Nintendo tenciona produzir 16 milhões de consolas, o dobro do inicialmente planeado. Números ouvidos pelo WSJ e não confirmados pela Nintendo dizem que as vendas da Switch situam-se atualmente nas 2,5 milhões de unidades.
Fonte: The Wall Street Journal

Swatch vai desenvolver o seu próprio sistema operativo: A guerra entre as grandes tecnológicas e os produtores suíços de relógios está a ganhar contornos significativos. A Swatch confirmou estar a desenvolver um sistema operativo proprietário para equipar alguns dos seus modelos. O primeiro relógio a chegar ao mercado com este novo software será um Tissot e não deverá chegar ao mercado antes do final de 2018.
Fonte: Bloomberg