Era uma possibilidade que pairava no ar, mas agora chegou a confirmação: a Samsung vai deixar de produzir o Galaxy Note 7, trazendo assim um fim ao problemático modelo de smartphone.

A própria tecnológica confirmou esta decisão, de acordo com relatos da Bloomberg. O The Verge cita parte do anúncio. A decisão é permanente, querendo isto dizer que não há intenções de voltar a produzir o equipamento.

“Tendo a segurança dos nossos consumidores como a nossa maior prioridade, decidimos parar as vendas e a produção do Galaxy Note 7”

Chega assim ao fim um dos casos que maior controvérsia gerou no segmento das novas tecnologias nos últimos anos. O Galaxy Note 7 era um dos equipamentos topo de gama da marca sul-coreana e um dos melhores smartphones do mercado. As grandes expectativas relativamente ao equipamento ajudaram a que o caso ganhasse contornos mediáticos ainda mais acentuados.

O anúncio do fim da produção do equipamento surge apenas algumas horas depois de a tecnológica sul-coreana ter pedido a todos os parceiros mundiais para pararem de vender o smartphone e também os programas de substituição.

O Galaxy Note 7 foi apresentado no dia 2 de agosto

A decisão mais drástica acontece dias depois de terem sido noticiados vários relatos de equipamentos de substituição que tinham o mesmo problema dos modelos originais – nas unidades defeituosas a bateria pegava fogo.

Segundo escreve a Bloomberg, a decisão também terá sido tomada pois a Samsung estaria a ser pressionada por alguns reguladores – são referenciados o dos EUA e o da Coreia do Sul – para que a tecnológica parasse as vendas do equipamento. Recorda-se que algumas operadoras norte-americanas de telecomunicações tomaram esta decisão por iniciativa própria mesmo antes do pedido da Samsung.

Um especialista em estratégias de marcas, Erich Schiffer, já tinha dito à BBC que o fim da produção do equipamento seria o melhor para a Samsung. “Se permitirem que o Note 7 continue [no mercado], pode levar ao maior ato de autodestruição de marca da história moderna da tecnologia. A Samsung precisa de assumir o prejuízo”, defendeu Eric Schiffer.

N.R. (11:20): O porquê de tantas notícias sobre o Samsung Galaxy Note 7. No FUTURE BEHIND temos preferência por apostar em conteúdos mais alargados e de reflexão sobre os temas tecnológicos que marcam a atualidade. Mas o caso do Galaxy Note 7 temos acompanhado de forma diferente. Em primeiro lugar pelo alto perfil do tema – é um dos casos mais polémicos que o segmento tecnológico viu nos últimos anos, se não mesmo o maior. Foi também um assunto que afetou a marca que mais smartphones vende em todo o mundo e um dos nomes mais importantes do sector das novas tecnologias. O problema do Note 7 não se tratou apenas de um simples defeito de fabrico sem grandes consequências, era um problema que colocava em causa a segurança dos utilizadores que tinham unidades defeituosas. Sendo difícil de prever o que aconteceria a seguir, optamos por informar assim que havia novos desenvolvimentos. Isto do ponto de vista editorial. Por outro lado o facto de a Samsung ter revelado posições oficias a conta-gotas – só nas últimas 12 horas houve dois anúncios oficiais – obrigou-nos a acompanhar o caso com maior frequência.