SamsungS21 00

Análise Samsung Galaxy S21

Com a chegada de um novo ano, começam a surgir as novas iterações dos nossos gadgets favoritos. E assim, a Samsung decidiu começar o ano apresentando, no passado dia 14 de janeiro, a sua linha de smartphones de topo, nomeadamente a nova série S21, sendo composta por três dispositivos: o Samsung Galaxy S21, o modelo mais base da nova linha; o Samsung Galaxy S21+, equivalente ao anterior, mas num formato maior, oferecendo mais ecrã e bateria e, por último, o Samsung Galaxy S21 Ultra, a versão mais completa com toda a tecnologia de ponta da empresa Sul Coreana.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

À semelhança da estratégia de anos anteriores, a Samsung tentou de novo separar os extremos dos modelos oferecidos, estando estes focados em públicos alvos diferentes. O Samsung Galaxy S21 Ultra oferece toda a tecnologia de topo da Samsung, não havendo dúvida que este é claramente o modelo mais avançado, tendo um fantástico sistema de câmaras, sensores extra como e ainda suporte para a S-Pen. Contudo, tudo isto vem aliado a um custo mais elevado que não irá agradar a todos os utilizadores. A pensar nisso, o Samsung Galaxy S21 pretende oferecer o melhor, mas garantindo o preço mais baixo possível o que, inevitavelmente, implica alguns cortes face ao seu irmão mais velho. Será que a Samsung consegue oferecer uma experiência de topo a um preço mais reduzido, ou terá cortado demais?

Características

Galaxy S21 é o modelo base da linha S21, partilhando a maioria das suas características com o modelo S21+, com exceção do tamanho do ecrã e capacidade da bateria. O S21 conta com um ecrã AMOLED de 6.2” e uma bateria de 4000 mAh enquanto que o S21+, sendo maior conta com um ecrã de 6.7” e uma bateria de 4800 mAh. Estas podem ser carregadas através de uma ligação USB-C, suportando Fast charging de 25W e tendo a capacidade de carregamento sem fios Fast Qi.

Os ecrãs têm uma resolução de 1080 x 2400 pixeis, uma redução face aos modelos equivalentes do ano passado, mas com um brilho máximo superior. Esta redução de resolução não será, contudo, demasiado relevante, pois os modelos anteriores necessitavam de reduzir a resolução quando utilizavam a taxa de refrescamento de 120 Hz, também suportada nos modelos deste ano.

Ao nível de componentes internos, o Samsung Galaxy S21 conta com um processador octa-core Exynos produzido com a nova tecnologia de 5 nm, garantindo uma maior potência com melhor eficiência energética. Este modelo conta também com 8 GB de memória RAM e está disponível com armazenamentos de 128 GB ou 256 GB. Este armazenamento não pode ser expandido com cartões SD como tem sido a norma com equipamentos desta gama.

Além disso, este telemóvel conta com todas as melhorias esperadas de um telemóvel de topo, como suporte para o último protocolo Wi-Fi 6, suporte USB-C 3.2, carregamento reverso, onde pode ser utilizado como um carregador sem fios para outros equipamentos e um novo sensor de impressão digital, localizado debaixo do ecrã que é ainda mais rápido e preciso que as versões anteriores.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

No que diz respeito às máquinas fotográficas o equipamento conta com uma câmara frontal de 10 MP, com capacidade para filmar até 4K a 60 FPS, e três câmaras traseiras onde a principal e a grande angular contam com sensores de 12 MP e a teleobjetiva com um sensor de 64 MP, tendo a capacidade de atingir uma resolução de vídeo de 8K a 24 FPS, com a possibilidade de atingir 60 FPS e 240 FPS para vídeos slow-motion nas resoluções mais baixas de 4K e 1080p.

A nível de software o equipamento vem acompanhado com a versão de Android 11 e a versão mais atualizada do One UI a camada de software da Samsung que acompanham os seus equipamentos.

Como forma de garantir que o custo do equipamento se mantenha baixo, a Samsung decidiu também abdicar de materiais mais premium, como a utilização de vidro para a traseira do telemóvel e decidiu usar um plástico mate que, além de tornar o equipamento mais leve é capaz de agradar mais a certos utilizadores. Algo que também foi retirado, mas não só no Samsung Galaxy S21 como também na versão Ultra foi o carregador, vindo com os equipamentos apenas um cabo de carregamento USB-C para USB-C.

E vai mais um disparo

Sendo a fotografia um dos pontos com maior importância para os utilizadores que compram novos smartphones é normal que as empresas deem um ênfase especial a esta componente. Devido a limitações físicas do tamanho dos sensores e movimentação das lentes, os fabricantes vão utilizando diferentes técnicas a fim de retificar isso.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Algumas dessas técnicas são um misto entre incluir diferentes câmaras nos equipamentos e utilizando o poder da fotografia computacional, aplicando algoritmos complexos de modo a artificialmente melhorar a fotografia de forma a diminuir as limitações físicas a que estão sujeitas.

A verdade é que nos últimos anos a qualidade das fotografias dos smartphones tem vindo a aumentar de tal maneira ao ponto de muitos utilizadores chegarem a comparar a sua qualidade à obtida de máquinas dedicadas. Ainda não sendo possível ultrapassar as limitações físicas com a fotografia computacional, é inegável que a qualidade das fotografias está a atingir valores bastante elevados e que satisfazem a maioria dos utilizadores comuns.

No caso do Samsung Galaxy S21 é clara a aposta nesta nova forma de fotografia pois, fisicamente, a diferença para os modelos do ano passado é praticamente inexistente, tendo as melhorias sido feitas ao nível do software, isto aliado ao novo processador mais potente.

As três câmaras possibilitam um zoom ótico a três amplitudes diferentes, permitindo um zoom de 0.5x na lente grande angular e de 3x na teleobjetiva, quando comparadas com a lente principal. Neste intervalo, dado que o zoom é feito oticamente, não existe qualquer perda de qualidade. No entanto, graças aos 64 MP da câmara de teleobjetiva, o smartphone consegue atingir um alcance de até 30x. Apesar de ser efetivamente impressionante, a qualidade obtida torna a foto um simples snapshot de fraca qualidade sem uma aplicação útil.

As fotografias, quando comparadas com o modelo equivalente do ano passado aparentam ser mais definidas e com cores ligeiramente mais vibrantes na maioria das situações. O aumento no detalhe é principalmente notório quando se comparam os resultados da fotografia em modo noturno, onde é possível ver os efeitos do processamento extra, que apenas acontecem devido processador mais potente.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Para os mais entusiastas da fotografia, a aplicação nativa da Samsung continua repleta de diferentes modos de fotografia e vídeo, incluindo os populares modos de retrato, onde o fundo é desfocado, possível também em vídeo, um modo específico para fotografar comida e ainda o modo Pro onde é possível controlar as propriedades da fotografia como se fosse uma máquina Mirrorless.

Apesar de todas as melhorias neste novo modelo, a verdade é que a diferença face aos modelos anteriores não é revolucionária, continuando a não ser suficiente para se trocar a qualidade de uma máquina dedicada. Adicionalmente, para os utilizadores que tenham o modelo anterior ou equipamentos recentes, não é suficiente para justificar o upgrade.

Jogar na Cloud

A cada ano que passa, com o aumento da eficiência e poder de processamento dos novos smartphones, estes vão-se tornando verdadeiras consolas portáteis conseguindo correr jogos a níveis impensáveis à bem poucos anos atrás. Jogos como Genshin Impact correm incrivelmente bem no Samsung Galaxy S21, sendo impressionante sentir a fluidez obtida graças à taxa de refrescamento de 120 Hz.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mas algo mais impressionante que estes equipamentos têm a capacidade de fazer não está diretamente ligado ao seu poder de processamento, mas sim à possibilidade de terem ligações de baixa latência e alta velocidade, como ligações 5G. Estas ligações, aliadas a ecrãs maiores e de maior qualidade permitem utilizar tecnologias de streaming para obter verdadeiras experiências de gaming on-the-go.

Aliando uma plataforma cloud, como a disponível no serviço Xbox GamePass Ultimate, com um fluido e prático Samsung Galaxy S21, qualquer um poderá usufruir dos seus títulos favoritos, como The Medium ou Control, em qualquer lugar podendo depois continuar a aventura na sua Xbox.

É possível que muitos utilizadores prefiram um ecrã maior para essas sessões de jogo, mas aqueles que gostem de ter um smartphone mais pequeno, o ecrã do Samsung Galaxy S21 é ideal para essas sessões.

Galaxy Buds Pro

Juntamente com o lançamento da linha S21, a Samsung também lançou os Galaxy Buds Pro, uma versão melhorada dos seus auriculares in-ear que oferecem uma excelente qualidade de áudio, resistência a sujidade e líquidos à norma IPX7, Cancelamento Ativo de Ruído (ANC) e uma bateria com capacidade entre 5 a 18h graças à sua caixa de transporte que também os carrega.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O emparelhamento dos Buds Pro com o novo Samsung Galaxy S21 é algo incrivelmente simples, bastando abrir a sua caixa e informar que pretendemos emparelhar os novos auriculares.

O Cancelamento Ativo de Ruído é bom para uns auscultadores in-ear. No entanto, ainda não se aproximam do resultado obtido quando utilizados auscultadores over-ear. Não obstante, mesmo que subtil, o efeito gerado pelos Buds Pro é suficiente para ajudar o utilizador a abstrair-se dos ruídos indesejados, oferecendo uma boa qualidade de áudio para o equipamento.

Considerações Finais

O objetivo do Samsung Galaxy S21 é oferecer o melhor deste ano ao custo mais baixo possível. Devido a isso, é inevitável que seja necessário realizar alguns cortes que podem ou não ser relevantes para os utilizadores. Tudo aquilo que este modelo oferece é, sem dúvida, algo de qualidade e que irá realizar um serviço impecável durante muitos anos. No entanto, não é oferecida uma revolução de tal forma que o separe significativamente dos modelos anteriores.

A nível físico, o equipamento é mais elegante, mesmo com o corpo de plástico, é agradável ao toque e um dos smartphones mais confortáveis de se utilizar. O ecrã mesmo tendo uma resolução inferior à versão do ano passado, tem uma qualidade de imagem belíssima, com cores vivas e agradáveis e uma fluidez incrível graças à sua fenomenal taxa de refrescamento.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Ao nível de fotografia, não lhe tirando mérito, a performance acaba por desiludir um pouco dado que não é muito diferente dos modelos anteriores e não elevando a fotografia a novos níveis. A possibilidade de se ter um zoom de 30x acaba por ser irrelevante, pois passando o nível de 5x a qualidade começa a degradar significativamente. Contudo, mesmo não sendo algo que vá agradar aos mais aficionados e exigentes da fotografia a sua qualidade continua a ser boa para todos os restantes utilizadores.

Todos os utilizadores que gostem e estejam envolvidos no ecossistema da Samsung terão sem dúvida um excelente equipamento caso optem pelo Samsung Galaxy S21, estando este equipado com todas as novas tecnologias e garantindo ter a capacidade de aguentar vários anos.

patreon