Pelo menos desde 2007 que a Sony vai ao Consumer Electronic Show mostrar protótipos de ecrãs com tecnologia OLED – em televisores e em monitores. A gigante japonesa até já mostrou ecrãs OLED que podem ser enrolados, um sinal claro de que o desenvolvimento desta tecnologia está no roteiro da empresa há pelo menos uma década.

Mas só agora, no CES 2017, é que a empresa parece disposta a travar uma guerra com a LG, a empresa que tem reinado no segmento dos televisores OLED. O diretor executivo da Sony, Kaz Hirai, revelou a primeira linha comercial de televisores OLED da marca.




Identificada como XBR-A1E, ou para os amigos simplesmente ‘Bravia OLED’, a nova linha de televisores estará disponível em tamanhos de 55, 65 e 77 polegadas. A qualidade de imagem garantida pelo ecrã OLED é claramente o elemento em destaque.

Todos os televisores têm resolução Ultra HD e suportam conteúdos em HDR, incluindo o standard Dolby Vision, o mais avançado da atualidade.

Graças ao ecrã OLED as cores são mais saturadas e a capacidade que os ecrãs têm um omitir por completo a emissão de luz torna possível uma melhor representação dos tons pretos. Isto por sua vez significa melhores contrastes e maior profundidade nas imagens, o que também ajuda a destacar a definição dos elementos.

Mas a Sony fez mais para que todas as atenções estivessem centradas no seu televisor.

Os Bravia OLED apresentam-se com um design agressivo, mas ao mesmo tempo simplista e até artístico. Estes passam a ser assim os televisores topo de gama da Sony e aqueles que podem ser incluídos na categoria de ‘assinatura’.

As margens no televisor são quase inexistentes, com o ecrã a ocupar a esmagadora maioria da parte frontal do equipamento. Ainda que não sejam tão finos como os novos televisores OLED apresentados pela LG, o televisor da Sony consegue manter um perfil bastante reduzido.

Apesar da ‘magreza’ atingida, a Sony colocou um suporte ao estilo passpartout no televisor. Desta forma as Bravia OLED podem ser colocadas diretamente no chão, não havendo necessidade de estarem colocadas numa parede ou num móvel – ainda que estas opções também devam estar disponíveis.

Se chegou a este parágrafo do artigo e está a perguntar ‘onde anda o sistema de som?’, esse foi outros dos elementos nos quais a Sony caprichou. A tecnológica ainda não explicou de forma muito clara qual o sistema de som usado, mas na prática diz que é uma tecnologia de emissão de som que usa o próprio painel e a restante estrutura da TV para propagar o som.

A Sony não revelou a disponibilidade dos Bravia OLED nem qual o preço que os diferentes modelos vão ter.

CES 2017 FUTURE BEHIND BANNER