Já recebeu e leu a nossa newsletter semanal? Se ainda não o fez pode fazê-lo AQUI. E se ainda não subscreve a nossa newsletter pode facilmente alterar essa situação AQUI. Mas como as novidades não param de chegar já temos também preparado o seu resumo tecnológico da manhã de sábado.

Bom fim de semana.

SpaceX aterra foguetão pela quarta vez: A empresa liderada por Elon Musk conseguiu recuperar ontem à noite mais um foguetão no meio do mar, aterrando-o numa plataforma flutuante. Desde janeiro de 2015 que a tecnológica tem tentado aprimorar a recolha dos rockets espaciais – falta agora começar a sua reutilização.
Fonte: The Verge

Facebook vai segui-lo, mesmo que não tenha perfil na rede social: A gigante norte-americana alargou a sua rede de anúncios online e vai agora mostrá-los também aos utilizadores que não têm presença na plataforma. Cookies, botões de like e plug-ins do Facebook integrados em sites serão as formas usadas para manter os utilizadores ‘debaixo de olho’.
Fonte: The Wall Street Journal

Sailfish regressa, Sailfish esgota: A empresa Jolla lançou esta semana o seu segundo smartphone com o sistema operativo Sailfish OS. Só foram fabricadas mil unidades do equipamento é certo, mas em apenas um dia o dispositivo de 169 euros esgotou.
Fonte: The Next Web

Manter ‘abertas’ as investigações financiadas com dinheiro público: Há quem defenda que o conhecimento é de todos e a Comissão Europeia está a tomar uma atitude importante nesse sentido – a partir de 2020 todos os estudos e investigações que tenham sido financiadas com dinheiro público vão estar disponíveis para acesso.
Fonte: Engadget

No Man’s Sky agora só em agosto: Tem sido um dos jogos mais falados dos últimos anos porque tem uma arte diferente e um sistema de inteligência que torna a jogabilidade teoricamente infinita. Mas o exclusivo para a PlayStation 4 foi adiado pelo estúdio Hello Games e agora só chega a 9 de agosto.
Fonte: Polygon

‘Mentor’ do Project Ara deixa críticas à Google: A tecnológica norte-americana apresentou-nos um conceito muito interessante do smartphone modular Ara. Mas Dave Hakkens, criador do projeto Phonebloks e de certa forma o autor deste conceito, diz que a Google tem muito controlo sobre o ecossistema de hardware e que esse não era o objetivo. “Concentrem-se em fazer o telefone do futuro”, atirou.
Fonte: Dave Hakkens