O Spotify anunciou ontem, 23 de maio, uma redução no preço do plano familiar. O objetivo é tornar o serviço de streaming mais competitivo com os principais concorrentes como o Apple Music ou o Google Play Music. Esta pareceu-nos uma boa oportunidade para colocarmos os serviços lado a lado.

A principal conclusão? São todos muito parecidos nos serviços e nas características técnicas que disponibilizam. Ainda assim é possível registar algumas diferenças.




SPOTIFY

6,99 euros

Por mês

Versão gratuita disponível: Sim, com publicidade;

Catálogo: + 30 milhões de músicas

Modo offline: Sim

Playlists: Sim

Suporte para podcasts: Sim

Curadoria de músicas: Sim

Integração de vídeo: Sim, mas não disponível em Portugal

Plano familiar: Sim, 10,99 euros para seis pessoas [~1,83€ por utilizador]

Compatível: Windows, Mac OS, Linux, iOS, Android, Windows Phone, PlayStation, Sonos, entre outros

APPLE MUSIC

6,99 euros

Por mês

Versão gratuita disponível: Sim, sem publicidade, mas apenas durante três meses;

Catálogo: + 30 milhões de músicas

Modo offline: Sim

Playlists: Sim

Suporte para podcasts: Sim

Curadoria de músicas: Sim

Integração de vídeo: Sim

Plano familiar: Sim, 10,99 euros para seis pessoas [~1,83€ por utilizador]

Compatível: Windows, Mac OS, iOS, Android, Sonos

GOOGLE PLAY MUSIC

6,99 euros

Por mês

Versão gratuita disponível: Sim, sem publicidade, mas apenas durante três meses;

Catálogo: + 35 milhões de músicas

Modo offline: Sim

Playlists: Sim

Suporte para podcasts: Sim

Curadoria de músicas: Sim

Integração de vídeo: Sim, através do serviço YouTube Red [não disponível em Portugal]

Plano familiar: Sim, mas não disponível em Portugal

Compatível: Windows, Mac OS, iOS, Android, Sonos

Esta tabela comparativa mostra que se os utilizadores estiverem dispostos a pagar por um dos três principais serviços de música vão ter quase as mesmas funcionalidades. Mas esta é apenas uma análise superficial e mais direta. Existem muitos outros fatores a considerar na hora de avaliar um serviço de streaming.

Por exemplo, o Spotify tem um dos mais completos serviços de playlists que encontra entre os serviços de streaming. O tempo que já leva no mercado e o facto de ser líder no segmento permitem-lhe esta vantagem. O Apple Music tem por exemplo ligação com as redes sociais de alguns artistas e também tem exclusivos, como são os trabalhos de artistas como a Taylor Swift. Já o Google Play Music permite que o utilizador carregue para a cloud 50 mil faixas próprias que pode depois aceder via streaming.

Tudo dependerá do que procura em concreto, dos artistas que gosta e qual o seu perfil como ‘ouvinte’. Quando souber melhor estes pormenores, saberá melhor qual o melhor serviço para si.



Sem mais artigos