No início da década de 1990 não havia PlayStation ou Xbox. A luta no mercado das consolas era feita entre a Nintendo e a Sega. Em 1993 a ‘Big N’ teve um momento muito positivo com o lançamento de Star Fox – o jogo foi bem recebido e a empresa japonesa criava assim mais uma franquia que viria a ser de sucesso nos anos seguintes.

A boa receção que Star Fox teve fez com que o estúdio Argonaut Software começasse a trabalhar pouco tempo depois na sequela do jogo. Star Fox 2 foi desenvolvido na íntegra e foi enviado para a fase de aprovação junto da Nintendo. O jogo não foi validado.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A equipa tinha grandes ambições para Star Fox 2. Depois de ter deslumbrado o mundo ao criar efeitos 3D numa consola pensada apenas para jogos 2D, os elementos da Argonaut Software queriam elevar a fasquia. Foi inclusive criada uma nova versão do motor de jogo Super FX para permitir colocar maior qualidade nos efeitos de Star Fox 2. A SNES estava a ser levada aos seus limites.

Mas quando o jogo ficou pronto já estávamos em 1995 e o mercado dos videojogos sofreu alterações importantes. A Sega lançou a Sega Saturn e a Sony tinha colocado no mercado a PlayStation, ambas consolas de 32-bits. Para Shigeru Myamoto, o icónico criativo da Nintendo, a concorrência tinha elevado bastante a fasquia, sobretudo no que dizia respeito ao aspeto gráfico dos jogos.

Naquela altura, Star Fox 2 não tinha a qualidade desejável para provocar o impacto ambicionado. Chegou a ser mostrado no Consumer Electronic Show em 1995, mas o longo período de desenvolvimento fez com que o trabalho fosse tecnologicamente ultrapassado. O projeto não andou para a frente.

Star Fox 2

Muitas das ideias originais foram aproveitadas para o desenvolvimento de Star Fox 64, um jogo que marcou a geração da consola Nintendo 64. Mas isso não apagou o facto de Star Fox 2 não ter sido lançado.

Apesar de ser publicamente conhecido, o jogo passou a integrar a vasta lista de videojogos que foram desenvolvidos e engavetados pelas suas empresas. A grande surpresa é que Star Fox 2 sempre foi considerado como um projeto cancelado – quando, afinal, foi um videojogo colocado numa câmara de criopreservação. Como assim? No final de 2017 vamos ter o lançamento de Star Fox 2, mais de duas décadas depois daquele que deveria ter sido o seu ano de estreia.

Foi um anúncio tão ou mais relevante quanto o anúncio da própria SNES Mini, a consola no qual virá instalado de origem. Pela primeira vez o jogo Star Fox 2 vai chegar de forma oficial às mãos de jogadores de todo o mundo. O anúncio não apanhou apenas de surpresa os jogadores, apanhou de surpresa a própria equipa que desenvolveu o jogo no século passado.

“As pessoas sempre me perguntaram se eu pensava que a Nintendo algum dia lançaria o jogo e eu sempre pensei que a resposta era não. Ainda não consigo acreditar”, disse o programador principal de Star Fox 2, Dylan Cuthbert, em entrevista ao Polygon.

Trabalhar no desenvolvimento de um título que nunca conhece a luz do dia é um sentimento sempre difícil para a equipa de produção, mas apesar do que aconteceu a Star Fox 2, Dylan Cuthbert diz que percebe a decisão tomada na altura pela Nintendo.

“Eu de certa forma aceitei [a decisão], foi desapontante claro, mas as razões eram válidas. A PlayStation e a Saturn tinham acabado de sair, visualmente e a nível 3D simplesmente não conseguíamos competir. Estrategicamente fez bastante sentido para a Nintendo e para o Myamoto na altura”.

Star Fox 2Star Fox 2 foi projetado para manter o núcleo central do primeiro título, ao mesmo tempo que introduziria algumas novidades. Por exemplo, o jogador poderia controlar a nave livremente no espaço que lhe era concedido, algo que não aconteceu no Star Fox original.

Dylan Cuthbert admite que o jogo é ‘velhinho’, mas pede que os jogadores tenham em atenção o conjunto de ideias frescas que iria trazer ao mundo dos videojogos na altura. Um exemplo: as missões eram geradas de forma aleatória e há um forte sentido paralelo de estratégia associado às missões.

Leia também | Paprium: 28 anos depois ainda há quem esteja a criar um jogo para a Mega Drive

Se para os jogadores é uma oportunidade para deitar as mãos a um verdadeiro clássico, o efeito que o anúncio provocou na equipa foi completamente diferente – antigos designers, programadores e diretores de produção juntaram-se para celebrar a sua criação, ainda que já tivessem passado 22 anos do momento ‘certo’.

Os contornos únicos desta história tornam por si só Star Fox 2 num jogo fora de série e num dos grandes expoentes do retrogaming.

Sem mais artigos