A Dashlane, que já nos tinha dado uma lista com as piores passwords de 2018, deixa-nos agora uma lista com algumas previsões para o setor tecnológico em 2019… algumas delas bem ousadas.

Desde escândalos de privacidade que deverão começar a gerar multas bem grandes, como por exemplo a multa aplicada recentemente ao Hospital do Barreiro ou mesmo que a influência do RGPD acabará por ser ainda maior, passando para outras regiões do globo que não só a Europa.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A Dashlane, empresa responsável por um serviço de proteção online, diz ainda que as questões de privacidade relacionadas com o Facebook continuaram a enfraquecer a rede de Mark Zuckerberg e que as primeiras mortes relacionadas com ataques informáticos podem mesmo surgir em 2019.

São previsões ousadas mas que fazem todo o sentido quando olhamos para os acontecimentos, dentro do setor, que marcaram 2018. Deixamos-vos então com a lista completa partilhada pela Dashlane.

1. Os escândalos de privacidade começarão a gerar avultadas multas

Com base no poder de regulação fornecido pelo RGPD (Regulamento Geral de Proteção de Dados), os países europeus começarão a multar os infratores e utilizarão essa influência como meio de taxação aos gigantes de tecnologia americanos que exploram lacunas fiscais para evitar impostos na Europa. Na verdade, o governo francês já começou a sugerir tributação exclusiva para empresas como a Amazon e a Apple. Fora os gigantes da tecnologia, prevemos que haja multas resultantes de violações ao RGPD – como a multa de 400 mil euros aplicada recentemente ao Hospital do Barreiro – para acelerar o investimento feito pelas empresas no sentido de proteger os dados dos usuários.

2. A influência do RGPD irá alastrar-se

Seguindo a linha da União Europeia com o RGPD, mais países começarão a emitir leis para proteger a privacidade dos seus cidadãos. A Califórnia já aprovou uma legislação que entrará em vigor a 1 de janeiro de 2020 – no entanto, os sinais apontam para que as leis federais de privacidade estejam um pouco atrás. Prevemos que leis do género surjam na Ásia, mesmo que a China continue a ser uma forte exceção à tendência geral. Quanto mais falhas e fugas houver, mais pressão os reguladores obterão dos consumidores para proteção da privacidade.

3. As questões de privacidade de dados relacionadas com o Facebook irão continuar a enfraquecer a sua posição como líder das redes sociais

Esta é provavelmente a previsão mais fácil. Devido às preocupações com a privacidade e tendo em conta que as gerações mais jovens estão a migrar para outras plataformas, achamos que o Facebook estará em declínio em 2019 e terá dificuldades em reinventar-se para o futuro.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

4. Uma falha de segurança irá tornar-se fatal

Primeiras mortes devido a ataques informáticos

A segurança online tornar-se-á cada vez mais numa arma, tanto no que diz respeito a atividades criminosas como à guerra. Poderemos ver resgastes de cibersegurança em serviços vitais – como um sistema informático hospitalar que também alimenta hardware de suporte de vida, um sistema de software de um comboio ou até mesmo software que controla centrais nucleares.

Primeiro ataque terrorista com origem na cibersegurança

Os terroristas também poderão utilizar ataques informáticos diretos para ameaçar e causar danos em sistemas críticos. Estes serão potencialmente mais assustadores do que os ataques prévios, já que os terroristas poderão elaborar conspirações no conforto das suas próprias casas, em qualquer lugar do mundo.

5. A criptografia quântica irá mudar o panorama

Atualmente, existe muita pesquisa e desenvolvimento em torno da computação quântica e das suas aplicações na criptografia. A esperança da criptografia quântica é a de resolver problemas que hoje são considerados impossíveis ou muito complexos de resolver, usando a computação clássica. No entanto, nos dias de hoje, isto está ainda limitado a experiências e laboratórios. Em 2019, poderemos assistir à primeira aplicação da criptografia quântica na vida real. Embora seja improvável que haja aplicações no mundo do consumidor, podemos prever um cenário em que as empresas de cibersegurança comecem a usar a criptografia quântica no mundo do software corporativo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

6. A criptografia pós-quântica não ficará muito atrás

Se a computação quântica é capaz de quebrar todas as regras da criptografia atual, alguns investigadores estão à procura da tecnologia que poderá potenciar a criptografia híbrida, num mundo onde tanto a criptografia quântica como a criptografia existem. O objetivo é evitar um “Quantum Y2K Moment”. Prevemos que 2019 seja o ano em que as teorias e as aplicações concretas começam a tomar forma.

Sem mais artigos