No início da madrugada desta sexta-feira aconteceu a gala The Game Awards, conhecida como um dos mais prestigiantes eventos de consagração no segmento dos videojogos. O evento foi transmitido em direto e até estreou os livestreams em 4K no YouTube, mas devido à hora avançada pode não ter acompanhado ou pode não ter visto tudo.

Além da atribuição dos prémios, o evento ficou marcado pelo anúncio de várias novidades e também pela revelação de novos vídeos de jogos que ainda não estão no mercado, mas já estão a ser bastante antecipados.




Um dos destaques da noite vai claramente para Death Strandings. Depois do criador japonês Ideo Kojima ter recebido o galardão de Ícone da Indústria, chegou-se perto do microfone e disse ‘Há mais uma coisa…’. Se o primeiro trailer do seu novo jogo tinha sido críptico, o segundo não fica atrás e trouxe mais duas caras conhecidas: Guillermo del Toro e Mads Mikkelsen.

Outro vídeo que está a gerar bastante ‘ruído’ nas redes sociais é a demonstração de jogabilidade de Mass Effect: Andromeda. O jogo tem estreia marcada para março de 2017 e o desenvolvimento parece estar a correr bem, pois as imagens mostram um título cada vez mais polido.

A diversidade dos ambientes de jogo, a escala do mundo, a condução de veículos e o sistema de combate são alguns dos elementos que estiveram em destaque durante os The Game Awards.

Por falar em jogos antecipados, o evento de ontem foi também motivo para a Nintendo revelar não só um novo vídeo de jogabilidade de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, como também um novo trailer do jogo. O destaque vai para o facto de haver alguns indicadores de que a personagem Princesa Zelda pode aparecer neste jogo.

Mas sobre estes três jogos já os mais aficionados ouviram falar. O The Game Awards também foi palco para o anúncio de novas propriedades intelectuais. Dauntless foi uma das novidades em destaque. O jogo está a ser desenvolvido pelo estúdio Phoenix Labs, que apesar de ser recente, junta nomes veteranos da indústria dos videojogos.

Dauntless será um free-to-play, vai estrear em 2017 para computadores Windows e será uma mistura de Dark Souls com Monster Hunters. Os jogadores irão assumir o papel de Slayers, guerreiros que têm de proteger o mundo de monstros que o tentam destruir.

Outra novidade foi Shovel Knight: Specter of Torment, uma prequela ao muito bem recebido jogo Shovel Knight do estúdio Yatch Club Games.

Há ainda uma grande probabilidade de encontrar referências a uma performance ao vivo da banda sonora do jogo Doom. Foi sem dúvida uma das surpresas do evento e um dos momentos que ‘roubaram’ o espetáculo.

Os vencedores

Overwatch, Inside, Doom e Pokémon GO acabaram por ser os grandes vencedores da noite. Overwatch ficou com alguns dos galardões mais ambicionados por todos os participantes, pelo que acaba por sair como o grande vencedor da edição de 2016 dos The Game Awards.

Vale a pensa considerar esta lista para os pedidos de Natal caso ainda não tenha jogado algum destes títulos. Eles são, de acordo com a crítica especializada e com milhares de jogadores de todo o mundo, os melhores jogos do ano.

Melhor jogo de eSports: Overwatch
Melhor equipa de eSports: Cloud 9
Melhor jogador de eSports: Coldzera – Marcelo David
Jogador em tendência: Boogie2988
Jogo mais antecipado: The Legend of Zelda: Breath of the Wild
Melhor jogo multijogador: Overwatch
Melhor jogo de desporto/corridas: Forza Horizon 3
Melhor jogo familiar: Pokemon Go
Melhor jogo de estratégia: Civilization 6
Melhor jogo de luta: Street Fighter V
Melhor jogo RPG: The Witcher 3: Wild Hunt — Blood and Wine
Melhor ação/aventura: Dishonored 2
Melhor jogo de ação: Doom
Melhor jogo de realidade virtual: Rez Infinite
Melhor jogo mobile/portátil: Pokemon Go
Melhor jogo independente: Inside
Prémio Impacto: That Dragon, Cancer
Melhor performance: Nolan North como Nathan Drake em Uncharted 4
Melhor música/design de som: Doom
Melhor direção artística: Inside
Melhor narrativa: Uncharted 4: A Thief’s End
Melhor produção: Blizzard/Overwatch
Jogo do ano: Overwatch

Sem mais artigos