O diretor executivo da Apple está na Ásia para tratar de negócios – daí a marca da maçã ter investido mil milhões de dólares na empresa de mobilidade Didi, também conhecida como ‘uber chinesa’.

Mas da visita à China o CEO da tecnológica de Cupertino também traz um momento mais artístico: um dueto musical com instrumentos centenários chineses feito com JJ Lin, artista local. Ficou assim assinalado o lançamento da aplicação Garage Band com um maior foco na localização para o mercado chinês.

A Apple vive um momento em que não chega Tim Cook saber dar música, é preciso tocar as notas certas que os investidores querem ouvir.



Sem mais artigos