Se tivéssemos de apontar uma das áreas que mais cresceu entre a Maker Faire Lisboa 2015 e a de este ano, a dos drones seria sem dúvida uma das de referência obrigatória. Vários projetos deste segmento marcaram presença no evento do passado fim de semana, incluindo uma vertente mais competitiva, protagonizada pela Portugal Drone Race.





Mas o projeto que aqui destacamos é o de Eduardo Mendes. O maker levou até ao Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa, uma placa eletrónica que já vem preparada de origem para dar alguma autonomia de voo aos drones. O projeto pertence à Connect Robotics, uma empresa sediada no Porto.

O circuito permite a fácil integração de giroscópio, acelerómetro e também de barómetro, para que o drone consiga fazer uma leitura em tempo real das suas condições de voo e ajustar o voo mediante estes indicadores. A configuração pode ser feita de acordo com as necessidades de cada piloto já que junto com o kit, que tem um valor de 120 euros, vem também um interface de desenvolvimento.

Os dados podem ser acompanhados no smartphone com a ajuda de uma aplicação. Numa experiência rápida feita a pedido do FUTURE BEHIND foi possível verificar que o módulo em exposição era funcional e que devolvia os principais dados de voo em tempo real.

Sem mais artigos