Agora percebe-se por que razão a Valve ainda não lançou qualquer grande produção depois do lançamento de DOTA 2 em 2013. Numa conferência realizada nos escritórios da empresa nos EUA, o fundador da Valve, Gabe Newell, confirmou que afinal são três os jogos de realidade virtual que estão a ser desenvolvidos – e não apenas um como tinha dado a entender recentemente.

Gabe Newell disse que são três grandes produções e que não se tratam de mini-experiências de realidade virtual, um caminho que está a ser seguido por muitos outros estúdios.




“Uma das questões que podem perguntar é ‘Por que razão estão a construir hardware?’. Neste momento estamos a construir três jogos de realidade virtual. E aquilo que agora podemos fazer é desenhar hardware ao mesmo tempo que desenhamos software. Isto é algo que o Myamoto [antigo CEO da Nintendo] sempre defendeu, certo?”, disse, citado pela publicação Gamasutra.

As declarações de Gabe Newell parecem revelar que o ciclo de desenvolvimento está a ser alargado por forma a conseguirem criar uma melhor ligação entre hardware e software.

O fundador da Valve explicou logo de seguida que o motivo pelo qual a empresa está a apostar no desenvolvimento de hardware é para garantir aos utilizadores a melhor experiência de entretenimento com o software.

Gabe Newell é da opinião que o segmento do hardware é muito difícil de rentabilizar devido às baixas margens de lucro. Recorda-se que no final de 2016 a Valve apresentou a sua proposta de controladores para o segmento da realidade virtual, denominados de Knuckles.

Ainda não são conhecidos pormenores sobre os jogos, nem sobre as suas possíveis datas de lançamento.