À medida que mais empresas apostam no segmento do vídeo online, mais difícil parece a vida do Vimeo. Fundado em novembro de 2004, o serviço viveu quase sempre na sombra do YouTube, sobretudo quando a plataforma passou para as mãos da Google.

Pareciam estar reunidas as condições para que o Vimeo desaparecesse da internet, mas 12 anos depois a plataforma continua a dar cartas. Como? Mantendo-se fiel à sua proposta de valor inicial: ser um local para as produções de qualidade, para os vídeos que têm um forte cunho artístico e que valorizam tudo menos a quantidade de visualizações.




Quase que podemos dizer que o Vimeo é um local de culto pois a probabilidade de encontrar uma vídeo que vai satisfazer as suas papilas gustativas videográficas é grande.

Nos últimos anos a guerra do vídeo online começou a contar também com a participação do Facebook, do Twitter e do Snapchat. Em comum estas três redes sociais têm o facto de promoverem o vídeo espontâneo e não as produções cuidadas. Valoriza-se o imediato e não a qualidade. Ou seja, o terreno do Vimeo manteve-se quase intacto.

O site fundado por Zach Klein e Jake Lodwick apresenta valores que são sinónimo de vitalidade, crescimento e de comunidade dedicada.Vimeo 2016No final de cada ano as empresas costumam revelar os temas que dominaram o ano. A Google revela os temas mais pesquisados, o Facebook e o Twitter os temas que geraram maior barulho social e o YouTube os vídeos mais vistos do ano.

Todos querem saber quais os vídeos do ano do YouTube, a plataforma que tem mais de mil milhões de utilizadores. Se é interessante para os outros, talvez também seja para nós, certo?

Então e os do Vimeo? No caso do Vimeo não existe um top dos mais vistos. Existe uma seleção cuidada dos melhores vídeos do ano em diferentes categorias – uma seleção que tem a curadoria da equipa de video da plataforma.

“Peneirar os milhões de vídeos que foram carregados no Vimeo este ano e reduzi-los a uma lista digerível dos “melhores dos melhores” é provavelmente impossível e definitivamente maluco. Mas tentamos na mesma, como fazemos todos os anos, e estamos bastante satisfeitos com os resultados”, escreveu a equipa de curadoria do serviço.

Em 2016 o Vimeo lançou uma plataforma On Demand que permite aos produtores rentabilizarem as suas produções

Na lista abaixo vai encontrar os links para os vídeos que foram distinguidos como os melhores de 2016. Mas aqui neste artigo vamos incluir o vídeo que foi destacado como melhor documentário disponível na vertente On Demand.

Trata-se de Thank You For Playing, um documentário que acompanhou o desenvolvimento do jogo That Dragon, Cancer. O título indie recebeu o Prémio Impacto atribuído no evento The Game Awards e na prática foi a forma que um pai encontrou para lidar com a doença do seu filho.

A história que envolve o jogo é forte e é justamente dessa forma que é retratada no documentário. Uma produção pouco comum quando pensamos noutras realizações relacionadas com o mundo dos videojogos.

Best of Vimeo 2016

⚡Melhor vídeo de ação desportiva: When We Were Knights, por GoPro
⚡Melhor vídeo de ação desportiva no Vimeo On Demand: Vice Versa, por The Orchard
⚡Melhor animação: MANOMAN, por Simon Cartwright
⚡Melhor animação no Vimeo On Demand: Pear Cider and Cigarettes, por Robert Valley
⚡Melhor comédia: Her Friend Adam, por Ben Petrie
⚡Melhor comédia no Vimeo On Demand: Uncle Kent 2, por Factory 25
⚡Melhor documentário: 4.1 Miles, por The New York Times
⚡Melhor documentário no Vimeo On Demand: Thank You For Playing, por FilmBuff
⚡Melhor drama: HYPER-REALITY, por Keiichi Matsuda
⚡Melhor drama no Vimeo On Demand: Always Shine, por Oscilloscope Laboratories
⚡Melhor visual: 2016 AICP Sponsor Reel – Dir Cut, por Method Studios
⚡Melhor vídeo musical: Stylo G x Jacob Plant “Bike Engine”, por Keith Schofield
⚡Melhor vídeo musical no Vimeo On Demand: Toro Y Moi: Live From Trona, por Primary Colors
⚡Melhor vídeo de viagem: China: A Skyer’s Journey, por Jordan Manley