Esta semana somos quatro, quatro a contar o que jogamos, quatro com jogos diferentes que nos levaram em aventuras distintas. Há quem tenha desenvolvido um carinho especial por abelhas, e quem tenha andado a caçar monstros como se não houvesse amanhã.

Houve ainda tempo para regressar a um jogo que parece não ter fim, ou talvez o tempo não seja muito para descobrir o caminho que nos levará a acabar a jornada.

Siga o Future Behind:Facebook | Twitter | Instagram

E por aí, como foi a vossa semana? O que jogaram? Ainda mais importante, quais é que são os jogos que gostavam de ter no “sapatinho”?

Tiago Marafona

O tempo à frente das consolas continua a descer, contudo, ainda fui pegando em algumas coisas. Em análise para o FUTURE BEHIND, tive uma pequena experiência com Bee Simulador. A aventura no corpo de uma abelha foi sem dúvida diferente, mas esperava mais de um jogo que traz como princípio ser um “simulador”, mas não o é. Contudo, fiquei bastante surpreendido com as inúmeras informações e curiosidades sobre estes insetos voadores e muito sensibilizado para a importância que eles têm para o ciclo da vida do planeta. A verdade é que sempre que tiver que recomendar um jogo com potencial para ser didático para crianças, Bee Simulador lá estará na lista das prioridades.

Siga o Future Behind:Facebook | Twitter | Instagram

Prolonguei a jornada no Shenmue 3 e continuei a amealhar mais algumas fichas e dinheiro para continuar a comprar novas habilidades de combate. Embora as horas acumuladas já estejam a ficar extensas, sinto que tem um pouco mais para oferecer. Consegui ainda mais alguns troféus, mas a intenção não é realizar uma platina. Depois de ter concluído a análise, tive como objetivo simplesmente continuar a aproveitar ainda mais das inúmeras atividades que Shenmue 3 tem para oferecer. Creio que será neste fim-de-semana que deixo de vez o jogo.

Armando Sousa

Esta semana não houve muito tempo para jogar, mas naquelas noites mais frias ainda deu para por a manta por cima das pernas, ligar as consolas e fazer as atualizações dos jogos do momento.

Ritual: Crown of Horns é o que se joga mais afincadamente em que a análise deverá sair no inicio da semana. Um twin stick shooter que tem uma premissa western misturada com bruxaria, e que criaturas demoníacas nos rodeiam constantemente.

Call of Duty: Modern Warfare inicia a sua Season One com algumas novidades e com um dos meus mapas preferidos de todos, o mapa Crash, um favorito dos jogadores do título original, e com alguns novos modos de jogo e com battle pass para quem desejar. Continuamos a explorar a galáxia em Star Wars Jedi: Fallen Order, já que que depois de se terminar ainda há muito para fazer e podemos ver recantos dos planetas que nunca pensaríamos que lá estivessem.

Aproveitei algumas promoções de Natal e comprei alguns dos títulos que vão ficando para trás, já que não se consegue chegar a tudo. Resident Evil 2 remake (grande falha minha eu sei, por não o ter jogado antes) e Gears 5 foram os comtemplados desta vez e espero eu que ainda se possa aproveitar mais algumas antes do ano terminar.

Jorge Charneca

Por vezes sabe bem sair, ir ter com os amigos, beber um copo e falar do dia-a-dia. Claro que também podem combinar algo para a próxima vez que se juntarem, talvez para uma sessão de caça? Se for de monstros, então é uma grande ideia.

Durante esta semana, voltei para um jogo que tem um vasto leque de monstros, onde a Capcom fez e faz sucesso pelo mundo inteiro ao levar os jogadores a caçar estes monstros e fazer armaduras e armas vindo deles. Falo de Monster Hunter: World.

Para aqueles que são fãs de jogos como Nioh e Dark souls, Monster Hunter é um título onde temos de pensar sempre no que fazer como um caçador de monstros, para assim evitr o perigo à nossa volta. Existem dragões ou dinossauros que mandam bolas de fogo por todo o lado. Em Monster Hunter: World somos um caçador que vai em busca de aventuras num novo mundo que foi descoberto, e que irá explorar o novo ecossistema, procurando vestígios dos novos monstros que foram encontrados, juntamente com alguns preferidos da série. Monster Hunter: World é um bom jogo para quem quiser começar na série, quer seja um principiante no mundo dos videojogos ou alguém já com umas boas horas de jogo.

Siga o Future Behind:Facebook | Twitter | Instagram

As batalhas em si com os monstros são um dos pontos mais fortes do jogo, já que cada monstro luta de maneira diferente, recentemente foi lançada expansão IceBorne para as consolas sendo que chega a Windows PC em janeiro de 2020. Monster Hunter: World é um jogo que tem para oferecer muitas horas em frente ao ecrã… juntem-se a mim nesta aventura.

André Santos

Mais uma semana em que não podia deixar de passear pelo mundo, desta vez estive pelo Mónaco e Canadá ao volante do meu Red Bull Racing em F1 2019… é impossivel deixar este jogo, a forma como nos leva para o interior de um dos monolugares da F1 é incrivel e faz-nos de facto querer continuar a jogar e jogar, isto se forem fãs de desportos motorizados, claro.

Claro que no intervalo entre GPs, principalmente na viagem entre o Mónaco e o Canadá, tive tempo para pegar na minha Nintendo Switch e voltar a Legend of Zelda: Breath of the Wild, jogo que parece não ter fim… talvez por não o jogar muitas horas seguidas ou muitos dias seguidos. De qualquer das formas, mesmo que sejam novos ao universo Zelda, peguem na Nintendo Switch e entrem neste mundo criado para os jogadores Nintendo.

Siga o Future Behind:Facebook | Twitter | Instagram

Caso queiram entrar neste mundo por uma porta mais clássica, mas com um ar renovado, podem sempre pegar em The Legend of Zelda: Link’s Awakening para a Nintendo Switch, jogo que nunca experimentei na sua versao mais recente, mas que nao deve passar este natal sem estar presente na minha biblioteca Nintendo Switch.

Durante a semana não percam o 5º episódio de Eu é mais Jogos onde vamos falar dos melhores e piores títulos do ano. Isto tudo em conjunto com o Meus Jogos, o Café Mais Geek e a batata amerla do Squared Potato.

Um abraço e até para a semana.

Sem mais artigos