Esta semana a introdução é curta. Queremos apenas explicar que estamos aqui para vos contar o que jogamos durante a semana e pedir para que nos contem o que é que andaram a jogar e que planos têm para o período festivo que se aproxima a passos largos?

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Perguntamos mais, só esta semana, qual é o vosso género favorito? Qual foi, para vocês, o jogo do ano e porquê?

Tiago Maraforna

Durante esta semana regressei a um save de Final Fantasy IX, versão Nintendo Switch. Fiz a aquisição em setembro, numa promoção muito apetecível, onde gastei alguns pontos de ouro que tinha extra, ficando a um preço muito bom. Aproveitei a descida de preço especialmente para apoiar a franquia em consolas Nintendo porque, na verdade, já tinha a versão original da PlayStation, e já fui ao fim algumas vezes. Ainda assim, jogá-lo numa consola Nintendo, dá uma sensação muito especial.

Do que joguei até ao momento, neste regresso à obra de Hironobu Sakaguchi, esta versão de Final Fantasy IX é muito competente. Visualmente está bom e os extras como boosts, dão imenso jeito principalmente porque aceleram imenso o jogo, e para quem apenas quer desfrutar da história, estes acrescentos funcionam muito bem.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Descrevendo um pouco do jogo, Final Fantasy IX é simplesmente dos RPGs mais carismáticos que marcaram a primeira consola da Sony. O lote de personagens é fantástico. Zidane tem uma rebeldia fascinante e dotado de uma coragem admirável. Vivi, apesar de ser um mago extremamente forte, é muito inocente. Já o cómico, mas leal Sr. Adelbert Steine, é simplesmente o elo entre os momentos tristes e alegres do jogo. O elenco é de facto muito forte e toda a narrativa faz lembrar um autêntico conto de aventura entre príncipes e princesas.

Tive também uma experiência com Tools Up! e que resultou em análise para o Future Behind. É um jogo bastante simples, mas perfeito para jogar em multijogador, sendo bastante divertido especialmente pelo lado caótico que é capaz de oferecer em cada missão. Tools Up!  poderá ser o jogo perfeito para a época festiva que se avizinha, principalmente quando tiver a família toda por aqui reunida. Contudo, gostava que tivesse mais modos de jogo ou que tivesse a opção de jogá-lo online com outros jogadores, porque jogar a campanha apenas para um jogador, é simplesmente monótono. Mas se Tools Up! for jogado de forma cooperativa, é muito bom, sendo altamente recomendado apesar de ter alguns problemas.

Paulo Tavares

Esta semana foi dedicada ao trabalho que aperta antes das pausas mais que merecidas. Assim sendo, não houve jogatana, nem tempo para uma pausa em que a mente e as consolas me pudessem levar para um outro mundo, nem que fosse um tempo suficiente de passar um nível de um qualquer jogo mundano… Para espantar este estado pré-depressivo, analiso de forma sucinta os prémios entregues esta semana e acho perfeitamente justo o afirmar de Shekiro Shadows Die Twice como o jogo do ano.
Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram
Consensual? Nunca uma decisão o será, mas é claro que a fórmula Dark Souls num mundo rico e vívido que retrata a época feudal japonesa é, no mínimo, apelativa. A From Software é pródiga em capturar o jogador mais hardcore pela entrega e dificuldade que as suas obras implementam, bem como o jogador casual, que vem pelos visuais e música, mas acaba por ficar pelo desafio, pelas mecânicas de combate que exigem o erro e a paciência como condições essenciais para a progressão.
Entretanto nesta semana que se avizinha, vou continuar a tentar jogar e analisar Blacksad da Pendulo Studios. Como fã acérrimo das novelas gráficas, custa tanto assistir ao jogo a bloquear de cinco em cinco minutos… Pode ser que o Pai Natal traga um patch, pedir não custa…

Abel Maio

Com as épocas festivas é normal que o tempo disponível também vá reduzindo. Curiosamente, apesar de andar com menos tempo isso não me impediu de aumentar o número de jogos que joguei esta semana, tendo-me dividido por quatro títulos diferentes: Pokémon Shield, Dragon Ball FighterZ, Tetris 99 e Shovel Knight: King of Cards.

Pokémon continua a ser um excelente jogo para jogar em pequenos blocos de tempo, podendo continuar a completar a minha PokéDex ou melhorar a minha equipa, ajudando outros treinadores nas batalhas Max Raid no processo.

Dragon Ball FighterZ está rapidamente a tornar-se um dos meus jogos de luta favoritos de todo o sempre. Cada combate está de tal maneira bem apresentado que por momentos esqueço-me que estou a jogar e penso que estou a ver um episódio do anime. Além disso, mesmo não sendo uma obra de arte, o modo de história tem bastante conteúdo o que proporciona ainda mais horas de jogo.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Esta semana Tetris 99 recebeu uma nova atualização, sendo esse o principal motivo de voltar ao mundo dos blocos. Uma das principais novidades é a inclusão do modo de equipas onde os 99 jogadores são divididos em quatro equipas que irão lutar por ser a equipa vencedora.

No final desta semana foi também lançado Shovel Knight: King of Cards. Este é o muito aguardado título da coleção Shovel Knight e que futuramente teremos a análise disponível aqui no FutureBehind.

André Santos

Com muito trabalho para finalizar, já que a semana que agora passou foi a semana antes das férias, pouco tempo houve para jogar pelo que me fiquei por jogos mais simples e que me deixassem jogar apenas por alguns momentos sem ter que ficar a meio de um capítulo ou numa daquelas partes de história em que na verdade não quero desligar a consola e “pouco tempo” acaba transformado em largas horas.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Dito isto, a semana foi passada, como não podia deixar de ser, no F1 2019 tendo dado um salto a Super Smash Bros. Ultimate. A próxima semana, já de férias, espero ter mais para vos contar… quem sabe consigamos falar sobre o fim de The Legend of Zelda: Breath of the Wild.

Até lá, tenham uma ótima semana cheia de grandes jogos!

Sem mais artigos