Na semana passada tínhamos falado de como é abrangente a estratégia da Xiaomi na área tecnológica. Hoje, 4 de agosto, essa estratégia ficou ainda mais ambiciosa com o anúncio de uns óculos de realidade virtual, os MiVR Play.

Antes de referirmos os elementos que compõem o equipamento, há a destacar o modelo de negócio – se é que existe. A Xiaomi disponibilizou uma candidatura online onde todos os utilizadores chineses interessados podiam submeter-se como beta testers dos MiVR Play.



Em apenas oito horas um milhão de pessoas voluntariaram-se para experimentar o novo gadget. Destas, apenas alguns milhares vão receber os óculos de realidade virtual como explicou um porta-voz da empresa ao TechCrunch.

O ponto de referência é talvez o facto de estas pessoas apenas terem de pagar o equivalente a um 1,4 cêntimos para terem acesso aos MiVR Play.

Os óculos de realidade virtual posicionam-se no mesmo segmento dos Google Carboard ou dos SmartTalk VR, no sentido em que são agnósticos relativamente aos equipamentos que suportam. No caso dos óculos da Xiaomi são suportados smartphones com tamanhos de ecrã entre as 4,7 e as 5,7 polegadas.

Os MiVR Play têm um acabamento em licra e a ‘gaveta’ onde deve ser colocado o smartphone está protegida por um fecho com dois puxadores que deslizam em qualquer um dos sentidos. Na parte frontal existem ainda duas entradas que permitem ao utilizador fazer ajustes de posicionamento no smartphone e ajudam na ventilação do sistema.

Por agora os óculos só estão disponíveis no mercado doméstico, com a Xiaomi a dizer que pretende disponibilizar os MiVR Play noutros mercados – só não diz é quando e quais. Também há planos para disponibilizar os óculos em várias cores e padrões, para os tornar mais pessoais e apelativos.

Na parte dos conteúdos a Xiaomi lançou também a Mi VR App, uma aplicação que funciona como agregador de conteúdos de diferentes parceiros e que disponibilizará filmes e experiências imersivas para que os utilizadores possam aproveitar ao máximo os óculos VR.