Silt

Silt – Análise

Um estranho mundo aquático, monstros saídos de pesadelos e uma história misteriosa que nos prende a uma inquietação ímpar é o que nos mantém presos a Silt, uma aventura com traços de Limbo e Inside da Playdead que mantém a premissa do que foram sem dúvida, a sua inspiração. Como nesses jogos, o protagonista acorda num ambiente desconhecido e tem uma estranha ligação com o mundo que o rodeia.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

No caso de Silt o nosso mergulhador acorda, acorrentado no fundo de uma caverna subterrânea sem aparentes meios para escapar. Aprendemos, entretanto, que o nosso protagonista pode possuir espiritualmente outras formas de vida e usá-los para nos ajudar na progressão da aventura. Nesta primeira instância, podemos controlar uma piranha e usá-la para, com os seus dentes afiados, cortar as correntes e libertar-nos.

.

Possuir é o caminho

As áreas iniciais servem para nos ambientarmos a esta mecânica. Está algo no nosso caminho? É sinal que temos de possuir alguma criatura e explorar as suas caraterísticas e seguir em frente. Vamos ter de pensar assim de muitas e variadas maneiras.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Podemos controlar um tubarão martelo para partir algumas barreiras, uma raia que se esgueira por estruturas estreitas por exemplo e a evolução desta mecânica faz-nos manter o interesse enquanto a misteriosa história se desenrola.

Ambiente inquietante

Quando um jogo como Silt não tem palavras, tem de haver uma forte representação visual de como a narrativa é apresentada e como o progresso é feito. A Spiral Circus conseguiu fazer isso muito bem. Enquanto o mundo é detalhado graças à sua excelente arte desenhada à mão oferece uma simplicidade nas quais as soluções dos puzzles e os pontos fulcrais do jogo sem ter de os evidenciar de uma maneira gritante, o que não iria beneficiar ao ambiente que Silt nos transmite. Fiquei sempre na expetativa no que viria na próxima situação.

Um exemplo que apanhei logo no início, o nosso mergulhador tem de seguir um isco brilhante através de uns túneis cheios de criaturas noturnas. É quase óbvio que este isco irá resultar num encontro com um peixe gigante assustador e esfomeado, mas é o único caminho. Ao chegar ao fim do túnel, esse isco brilhante acaba por ser uma salvação, guiando-me através da escuridão sendo a única fonte de luz que me permitiu não colidir com as paredes que me iria levar à morte certa.

Aliás, a morte é sempre esperada pelo jogador, os puzzles podem requerer alguma tentativa e erro, mas não achei em altura nenhuma que fossem demasiados complicados ou pachorrentos de fazer. Senti sempre que o jogo respeitou o meu tempo e sabe bem o que é.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Encontramos vestígios de uma civilização perdida que aparentemente partilha uma ligação com o nosso protagonista e com as monstruosas criaturas que coabitam neste mundo. O quanto mais fundo vamos nesta aventura, mais extraterrestre este oceano nos parece. Fábricas afundadas há muito abandonadas, árvores gigantescas com criaturas semelhante a pássaros a fazer ninhos (apesar de ser debaixo de água) e construções mecânicas enormes que nos recebem com armadilhas metálicas. Silt procura sempre dar-nos algo novo dentro deste mundo perturbador e fantástico.

Os puzzles podem continuar por vários níveis, de pequenos que se interligam e culminam com um encontro com um boss. Significa também que ao termos progredido tanto, ao falhar, retrocedemos bastante ao checkpoint anterior. Mas o pensamento constante que temos no que poderá vir a seguir pode ser suficiente para ultrapassar essa “falha”, mas é algo que pode estragar um pouco o ritmo do jogo.

patreon

Considerações finais

Silt é uma experiência obscura, estranha, mas encantadora. O ambiente que traz é o que nos faz voltar e tentar o puzzle mais uma vez, progredindo cada vez mais neste estranho mundo aquático.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

As mecânicas de possessão trazem um elemento interessante e convence-nos a conhecer mais do que o jogo aparenta. Quem gosta de Limbo e Inside, tem de experimentar Silt.

nota 4
Clica na imagem para mais informação sobre as nossas classificações

+ Ambiente inquietante
+ Grafismo monocromático interessante
+ Mecânica de possessão

– Alguns checkpoints podiam ser melhores
O Future Behind em "Dark Mode"