Ares: Rise of Guardians

Ares: Rise of Guardians — Um dos lançamentos MMORPG mais esperados

Os jogos do estilo MMORPG são jogos desenvolvidos para vários jogadores em simultâneo, com a sigla a significar ‘Massively Multiplayer Online Role-Playing Game’. Neste género de jogo, é possível utilizar vários elementos e incluir interpretação de papéis, principal característica dos populares RPGs.

Isto significa que estes jogos oferecem a possibilidade de criar um protagonista personalizável nas características fundamentais do jogo e nos aspetos visuais do jogo. Esta personalização explica facilmente o porquê de o tema fantasia ser o mais popular deste género de jogos: oferece diversas possibilidades aos jogadores e inclui ambientes repletos de mistério.

Parece, no entanto, que o novo lançamento MMORPG Ares: Rise of Guardians oferece algumas novidades promissoras que deixarão os fãs bastante expectantes.

Aposta numa temática diferente

Ainda não se conhece muito sobre o título Ares: Rise of Guardians, produzido pela empresa coreana de desenvolvimento de software Second Drive. Apenas se sabe que a empresa apostará numa temática diferente daquela que costuma ser a adotada pelos jogos MMORPG. O game irá trazer uma temática sci-fi, onde as personagens irão ostentar fatos poderosos e travar intensos combates aéreos.

Será esperado que os jogadores possam assumir o controlo das personagens que enfrentam invasores de outros planetas. Isso colocará os jogadores em cenários pós-apocalíticos futuristas, bem diferentes dos cenários de fantasia de outros títulos bastante populares de jogos MMORPG, como Alliance: Heroes of the Spire, onde um cataclismo mágico destrói o mundo, ou Stormfall: Saga of Survival, onde os jogadores lutam com feras e goblins em caçadas e podem usar a magia antiga.

Fantasia versus ficção científica

Até então, o tema fantasia, que é imensamente popular para jogos no estilo MMO, parecia o único que fazia sentido aos desenvolvedores usarem nos seus títulos, pois era uma receita com sucesso garantido. À primeira vista, mudar para um género distinto pode parecer arriscado, mas será que a ficção científica é um tema tão distante da fantasia?

Assunto muito presente no cinema, a ficção científica explora a ciência, e a fantasia explora a magia e o sobrenatural. Quando aplicamos ficção científica à ciência estamos, no fundo, a envolver a ciência em magia com um toque de explicação lógica, algo que não é muito diferente do que acontece quando a magia e o sobrenatural são incluídos no género fantasia.

Adicionar nos jogos do género MMORPG elementos de supertecnologia que permitem uma alta personalização do ambiente e das personagens pode ser altamente interessante para os jogadores atuais. Isso porque vivem eles próprios rodeados de tecnologia e conseguem, através do cenário de jogo, adicionar tecnologia num mundo mágico e tornar a experiência mais emocionante e imersiva.

Romper o padrão dos jogos RPG

Existe um padrão que todos os jogos de RPG parecem seguir. É como se todos se passassem num cenário pós-apocalítico onde o mundo se encontra a recuperar de algo que o destrói e se tenta reerguer em direção à luz. Incluir tecnologia neste género de cenário pode parecer arriscado, mas pode ser necessário para novos elementos e para inovar este género de jogos.

9D025AA0 9B2B 47D0 B4A9 1A435C72751D
Crédito: Pixabay

Parece ser essa a ideia da empresa coreana Second Drive com o Rise of Guardians: romper com o padrão da fantasia e arranjar uma justificação para introduzir elementos de ficção científica que distingam este título dos demais existentes no mercado.

Ainda que os fãs possam estar relutantes, o provável é o novo jogo os conquistar mais rápido do que esperavam.

O Future Behind em "Dark Mode"