Razer Hammerhead True Wireless

Razer Hammerhead True Wireless – Análise

Recentemente analisamos os Razer Kaira para Xbox, um headset especificamente construído para nos dar a melhor experiência sonora nas nossas sessões de jogo na consola (ou até PC) da Microsoft. Apesar de alguns pontos menos positivos, qualidade sonora é algo que a Razer é conhecida por ter nos seus equipamentos, graças à sua experiência com lançamentos de bons produtos e outros menos bons.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Além da experiência em equipamentos mais vistosos, a Razer também já lançou equipamentos de som em formatos mais portáteis e discretos, como os Hammerhead True Wireless, disponibilizado numa versão mais simples e outra com um vasto conjunto de funcionalidades para utilizadores mais exigentes. Com a experiência que ganharam desses lançamentos, a Razer lançou esta semana a segunda geração dos Hammerhead True Wireless, a gama de entrada que pretende incorporar algumas funções Pro da geração passada. Será que a experiência ganha na geração passada serviu para evoluir ou será este produto uma aprendizagem para o que não fazer no futuro?

Razer Hammerhead True Wireless

Características Razer Hammerhead True Wireless

Razer

Hammerhead True Wireless 2021


| Peso | 53 g |

| Frequência de Resposta| 20 Hz - 20 kHz |

| Tamanho dos Drivers | Ligação|

| Carregamento | USB-C|

| Formato | Intra-auricular |

| Cancelamento Ativo de Ruído | Sim |

| Microfones | Microfones Duplos de Cancelamento de Ruído em chamada |

| Latência | Baixa latência de 60 ms em modo gaming |

| Razer Chroma | Sim |

| Bateria | 20 horas a 32.5 horas (dependendo do modo) |

| P.v.P. | €119.99 |

Esta segunda geração dos Hammerhead True Wireless absorveu algumas das funcionalidades mais avançadas no modelo inicial, dando uma fantástica experiência imersiva a todos os utilizadores. Incluindo tecnologia de Cancelamento Ativo de Ruído (ANC), estes earbuds permitem uma imersão única no consumo de qualquer tipo de multimédia. O seu design intra-auricular além de ajudar no isolamento acústico permite também que o seu uso seja ainda mais confortável. Adicionalmente, os seus microfones duplos de cancelamento de ruído funcionam em conjunto de forma a permitir uma elevada performance com vocais claros em qualquer chamada de voz ou vídeo.

Para os jogadores, os Hammerhead contam também com duas importantes funções. Um modo de gaming onde garante uma transmissão de áudio de baixa latência, garantindo que o atraso de transmissão do som numa ligação bluetooth não será o motivo para o jogador falhar a jogada. Adicionalmente, estes earbuds contam também com a Razer Chroma RGB, uma funcionalidade de alguma importância para todos aqueles que gostem de ter o seu equipamento personalizado. Todas as configurações poderão ser feitas diretamente de qualquer dispositivo móvel, seja iOS ou Android.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Os Hammerhead vêm acompanhados de uma prática e discreta caixa que além de os proteger também os carrega. Esta caixa é carregada através de uma ligação USB-C e permite obter até quatro cargas extra nos earbuds. Na sua configuração mais eficiente, com luzes desligadas e o ANC desligado, os Hammerhead conseguem alcançar umas fantásticas 32.5 horas, sendo que 6.5 dessas horas são fornecidas pelas baterias dos earbuds e as restantes 26 horas obtidas através do carregamento da caixa. No entanto, mesmo na sua configuração menos eficiente (luzes ligadas e ANC ligado) continua a ser possível obter uma incrível durabilidade de 20 horas, 4 horas dos earbuds e as restantes 16 horas fornecidas pela caixa, mais que suficiente para a maioria dos utilizadores.

Opinião

Para mim, earbuds são um tipo de equipamento cuja relação é complicada. Os meus canais auditivos tem um formato não muito comum, sendo que de todos os auscultadores com formato intra-auricular ou ficavam incrivelmente desconfortáveis impedindo a sua utilização ou então acabavam por saltar passado alguns minutos, independentemente dos adaptadores que eram colocados. Por causa disso, tive alguma reticência quando verifiquei que a segunda geração dos Razer Hammerhead tinham exatamente esse formato, seria difícil para mim avaliar corretamente o equipamento dada a minha experiência. No entanto, qual não foi a minha surpresa quando no momento que os coloquei, eles não só ficaram no sítio certo sem tentarem fugir, como também eram bastante confortáveis, o que para mim é um excelente início de uma nova relação!

Além do seu fantástico conforto, principalmente para alguém que durante muito tempo nunca encontrou uns earbuds in-ear que servissem, o processo de emparelhamento foi igualmente agradável, iniciando-se no momento que a caixa é aberta e começa a anunciar a sua disponibilidade. Adicionalmente, com um simples par de toques laterais, torna-se incrivelmente fácil e rápido emparelhar os auscultadores com outro equipamento o que compensa em parte o facto dos mesmos não permitirem mais que uma ligação simultânea.

Uma das novidades desta segunda geração é o facto deste modelo base ter Cancelamento Ativo de Ruído (ANC), função que estava reservada para as versões Pro e o que justifica a mudança do seu formato mais tradicional para um formato intra-auricular. O cancelamento de ruído funciona de forma satisfatória para earbuds mas continuam a não estar a par do cancelamento que é possível obter com uns auscultadores over-ear. Não obstante, mesmo com música num volume reduzido, é possível obter uma excelente abstração dos ruídos exteriores tornando-os uma excelente opção para quem quer um cancelamento num formato mais portátil. No entanto, essa abstração não é desejável quando nos encontramos na rua e por isso os Hammerhead podem ser alterados para o modo Ambiente onde os ruídos exteriores são amplificados ligeiramente para chamar a atenção do utilizador. É ainda possível desativar estas funções, tornando os Hammerhead nuns simples earbuds.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A performance a nível de áudio é bastante boa e encontra-se a par de outros earbuds na mesma gama de preço. Adicionalmente, o ANC não afeta de forma alguma a qualidade do som, sendo simplesmente notório a “pressão” típica de qualquer equipamento com essa tecnologia. No que diz respeito à qualidade do microfone, apesar de não ser algo extraordinário, tem uma qualidade ligeiramente superior ao normal graças ao facto de ter vários microfones a funcionar para eliminar o ruído ambiente.

Outra das novidades neste novo modelo e certamente uma das mais vistosas, é a inclusão da popular tecnologia Razer Chroma RGB, iluminando o símbolo da marca em cada um dos earbuds de acordo com a configuração escolhida. Dos modos atualmente disponíveis, o modo Static permite que seja escolhida uma das milhares cores possíveis, juntamente com a intensidade da luz, ficando essa configuração sempre presente. O modo Spectrum alterna lentamente entre as diferentes cores possíveis. O modo Breathing é semelhante ao modo anterior mas em vez de alternar a cor entre todas as possíveis, alterna simplesmente entre duas. E certamente o modo mais divertido, Audio Meter faz com que as luzes dos earbuds pulsem de acordo com a música que está a ser ouvida.

Além das configurações estéticas os Hammerhead permitem outro conjunto de configurações através da aplicação Razer Audio. Aqui é possível atualizar o firmware dos earbuds, ajustar o modo de Equalizador, seja através dos modos pré-configurados ou ajustando os níveis a gosto, e ainda definir os controlos para as diferentes ações de toque. Através de combinações de um, dois ou três toques e de tempo é possível definir um conjunto de ações simples para cada earbud, tanto para controlar a música, ativar o assistente pessoal e ainda controlar chamadas. Contudo, no momento de escrita deste texto, o controlo de volume é o único que não pode ser alterado, estando definido para um duplo toque com um hold, não sabendo se isto é intencional ou alguma gralha que será corrigida no futuro.

Um outro ponto bastante positivo é a performance da bateria. Mesmo não sendo possível testar com exatidão os números declarados, dado serem afetados por diversos fatores, a capacidade de cada earbud é claramente superior a qualquer sessão de utilização. Após uma utilização de mais de duas horas, tanto com música, vídeos e chamadas, tanto com o Chroma RGB e ANC ligados, a bateria ainda contava com pelo menos 65% da sua carga. Isto sem terem sido colocados na caixa de carregamento que lhes iria extender a utilização significativamente.

Considerações Finais

Esta nova geração dos Razer Hammerhead é exatamente o que uma nova geração deve ser, uma evolução onde funções reservadas a modelos mais premium estão disponibilizadas nos modelos mais base. Apesar da sua mudança do formato half in-ear da versão de 2019 para o novo formato in-ear não agradar a uma parte dos utilizadores, foi uma alteração necessária para implementar a nova tecnologia.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Mesmo não sendo possível aproximar-se da performance de qualquer headset over-ear, o Cancelamento Ativo de Ruído funciona significativamente bem o que, aliado à sua fantástica portabilidade e incrível bateria, tornam estes earbuds uma fantástica opção para quem se está sempre a mexer.

Com uma boa qualidade de áudio, tanto ao nível de reprodução como de captura, e ainda a possibilidade de ajustar o som graças à opção de equalizador, os Hammerhead não desiludem na sua performance. Além disso, mesmo sendo uma função longe de útil, o facto de incluírem a tecnologia Razer Chroma RGB tornam os Hammerhead uma opção sem igual para aqueles que se querem distinguir.

rating recomendado

– Incluem a tecnologia Razer Chroma RGB

– Possibilidade de bastantes configurações através de APP própria

– Cancelamento de ruído [ANC]

– Formato in-ear pode não agradar a todos os utilizadores, mas acaba por fazer sentido

– Banda Sonora que não fica na memória

N.R.: A análise aos Razer Hammerhead True Wireless foi realizada com acesso a uma unidade do produto gentilmente disponibilizada pela Razer.

O Future Behind em "Dark Mode"