Raji: an Ancient Epic

O que pass(a) no Xbox Game Pass #4: Raji: An Ancient Epic

Depois de uma ausência prolongada, recheada de trabalho, trabalho, trabalho e trabalho, regresso com uma experiência muito curiosa: Raji: an Ancient Epic.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Este título nasce das mentes da Nodding Heads Games, uma produtora sediada na Índia e esta vertente cultural transpira por todos os píxeis desta aventura em 2.5D. Seguimos os destinos de Raji e Golu, dois irmãos que se vêm a braços com as quezílias e guerras entre hordas demoníacas.

5G04R3X

É neste caos que Golu é levado e Raji, a sua irmã mais velha, se vê a braços com a necessidade de o salvar e o seu destino, escolhido a dedo pelos Deuses. E o primeiro ponto é mesmo a narrativa: é muito refrescante podermos jogar um título com inspirações, bases artísticas e ambientes completamente diferentes dos típicos ocidentais ou nipónicos. A cultura indiana e mitologia Hindu e Balinesa são os ganchos principais de todas as ações em Raji: an Ancient Epic.

Desde as vestimentas de Raji, até às armas típicas da história indiana e aos cenários sumptuosos, repletos de detalhes desenhados à mão, estão perante um requinte para os olhos… e ouvidos. As sonoridades e instrumentos indianos são tão diferentes e encaixam tão bem na narrativa e jogabilidade, que vão dar por vocês a sincronizar os vossos movimentos de combate ao som dos vários temas.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Falando nisso e infelizmente, a jogabilidade é onde deverão ter mais reservas. Se procuram um jogo repleto de mecânicas complexas, variadas e ricas, então não é este. Raji: An Ancient Epic pressupõe-se a contar-nos uma história e a abrir-nos uma janela para uma cultura diferente, sacrificando a variedade mecânica em prol de um combate funcional mas repetitivo, assente numa parca variedade de habilidades e armas.

I2OqUOd

O loop de jogabilidade é, também ele, algo previsível – vão saltar de sequência de plataformas, pausa, sequência de combate, pausa, sequência de plataformas – mas dinâmico, principalmente nos combates com bosses, onde exige maior concentração da nossa parte.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O combate em si utiliza uma vertente de Finisher para nos equilibrar a ausência de consumíveis: quando os nossos inimigos chegam a um nível crítico de vida, podemos aplicar um golpe finalizador que nos ajuda a recuperar de volta alguma da vida perdida em combate.

Ysrue12

Em suma, é um jogo mecanicamente simples e competente, mas tematicamente delicioso. Se sempre tiveram curiosidade em explorar a cultura indiana, Raji: An Ancient Epic é uma excelente escolha para uma playthrough num fim-de-semana. Não deixem escapar esta viagem, disponível no Xbox Game Pass para Consola, PC e Cloud.

O Future Behind em "Dark Mode"