Temos que recuar até 1996 para chegar às raízes de Pro Evolution Soccer (PES). World Soccer Winning Eleven no Japão e Goal Storm na Europa foram os nomes escolhidos para o lançamento do título para a PlayStation original que mais tarde, em 2001, vinha a dar origem a PES aqui já lançado também para a PlayStation 2.  

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A série Pro Evolution Soccer deu-nos a conhecer clubes como Aragon (Manchester United), Lake District (West Ham), Lisbonnera (SL Benfica) ou Esportiva (Sporting CP) e jogadores como VonPeers (V. Persie), Ruud vom Mistelroum (Ruud van Nistelrooy) ou mesmo Zirom (Zinedine Zidane). Mas os tempos mudaram e cada vez são mais as licenças obtidas pela Konami para o seu simulador de futebol. Estamos em agosto e isso significa uma nova edição de PES, Pro Evolution Soccer 2019 chegou ao mercado no passado dia 30 de agosto e traz com ele a Primeira Liga Portuguesa (Liga Nos) e uma reprodução fiel do Estádio Alvalade XXI do Sporting Clube de Portugal.

Adeus Liga dos Campeões, olá Liga NOS

Se há algo que os fãs de PES já estavam habituados, desde PES 2009, era a possibilidade de jogarem a Liga dos Campeões mas agora, 10 anos depois, a licença para o uso da liga milionária acabou e editora japonesa não conseguiu renovar, pior que isso é facto dessa mesma licença ter ido para o rival da EA Sports, FIFA 19.

Este sempre foi um dos pontos mais fracos de Pro Evolution Soccer, e embora a edição de 2018 já traga um grande número de clubes licenciados é impossível não notar a falta de nomes como a Juventus, que embora esteja jogável é a única equipa do campeonato italiano que não é apresentada pelo seu nome real. A Premier League inglesa é talvez a falta de maior peso, onde continuamos a ter maior parte das equipas com nomes fictícios.

Por outro lado uma das grandes adições em PES 2019, pelo menos para os fãs portugueses é a liga NOS completamente licenciada e ainda com um estádio português disponível, o Estádio Alvalade XXI do Sporting CP.  

Durante os jogos que fizemos até a data desta análise foi possível perceber que um dos pontos fortes do novo simulador de futebol é mesmo o ambiente que se vive nos estádios, o público vibra com os lances mais importantes do jogo e, como em qualquer partida de futebol, contesta as decisões do árbitro. Com um a liga e um estádio português disponíveis, umas das primeiras coisas que fizemos foi fazer jogar uma partida amigável contra a AI (Sigla para Inteligência Artificial em inglês) do jogo em que escolhemos as duas principais equipas da cidade de Lisboa. Um Sporting CP x SL Benfica disputado no estádio da equipa de Alvalade e deixem que vos diga, mesmo que sejam adeptos do SL Benfica ou de qualquer outra equipa que não o Sporting CP, o facto de estar a jogar um jogo de futebol e ouvir a língua portuguesa (embora que seja só no speaker do estádio) é arrepiante, e faz-nos perceber que a Liga NOS está cada vez mais visível a nível internacional.

Quem sabe não teremos os comentários em português num futuro próximo… E por falar em comentários sentimos que este é mesmo o ponto mais fraco no realismo de Pro Evolution Soccer 2019, os comentários são muito genéricos e os comentadores não demonstram muita emoção ao comentar cada um dos jogos o que faz com que nos apeteça simplesmente baixar o volume dos comentários e apreciar o ambiente dos estádios. 

Futebol de sofá, com amigos

Em PES 2019, como noutros títulos de simuladores desportivos, os modos de jogo são abundantes o que faz com que as possibilidades sejam muitas… Com amigos, sozinhos, online ou offline… É só escolher.

No modo offline do pontapé de saída temos disponíveis os já conhecidos jogos amigáveis e os jogos de seleção aleatória, estes últimos metem-nos a jogar com equipas escolhidas ao acaso, ou seja cada jogo uma equipa diferente. Mas aqui, os modos que mais nos chamaram a atenção foram mesmo o CO-OP 3v3, ideal para uma daquelas tardes de futebol virtual, e o modo Versus. Neste último é feito um jogo único contra adversários reais onde as estatísticas de jogo são guardadas, sendo assim possível perceber o desempenho de cada jogar ao longo do tempo e mesmo o nosso desempenho contra determinados adversários, ideal para jogar com aquele amigo com quem está sempre a competir pelo título de rei do PES, assim no fim da época vão poder saber, sem margem para dúvidas, quem de facto é o melhor jogador de Pro Evolution Soccer.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

No modo Online temos disponíveis as divisões online, onde começamos na divisão 12 e temos que jogar contra adversários reais para que assim consigamos os pontos necessários para subir de divisão, cada época tem 10 jogos e os pontos necessários para subir de divisão são definidos no início de cada uma das épocas.

Ainda no modo online temos o modo co-op, onde podemos procurar automaticamente utilizadores para uma partida de cooperação ou onde podemos criar uma sala e jogar neste modo com os nossos amigos no chamado jogo de clã.

Para além das partidas rápidas, dos jogos amigáveis e do modo de jogo em equipa (11v11), o modo online tem também disponível o, já conhecido, modo MyClub onde temos a possibilidade de criar a nossa equipa ideal e competir contra outros utilizadores em torneios online ou mesmo em partidas únicas para assim ganhar mais pontos para que possamos continuar a construir a nossa equipa e a rumar ao topo das classificações. Neste modo temos também disponíveis jogadores lendários, durante a nossa análise experimentamos o modo MyClub e tivemos a possibilidade de ter David Beckham na nossa equipa e temos que assinalar o realismo com que o antigo jogador está representado… A forma como corre, como toca na bola como passa e como remata está detalhada a um nível impressionante o que faz com que seja um modo de jogo fantástico para quem é fã das estrelas do passado.

Caso a nossa preferência seja modos de jogo mais demorados e que nos fazem investir mais horas, temos a possibilidade de jogar a Liga Master, o modo carreira de Pro Evolution Soccer, onde temos a possibilidade de controlar um clube dentro e fora do campo e assim levar a nossa equipa ao topo do futebol mundial. Aqui podemos controlar os treinos da equipa e das suas camadas jovens, negociar jogadores e até mesmo tentar contratar jogadores de clubes rivais, mas cuidado porque como em qualquer clube temos um orçamento que tem que ser respeitado. Em cada dia de jogo teremos a possibilidade de saltar esse jogo, onde o resultado será simulado, avançar em modo treinador ou mesmo de jogar uma partida de PES normal e levar a nossa equipa a vitória. Neste modo temos ainda acesso a conferências de imprensa, reuniões com os donos do clube e outras animações que fazem este um dos modos mais interativos de PES 2019.

Por fim, existe o modo Rumo ao estrelato, este tipo de jogo é muito idêntico ao modo Liga Master mas aqui não somos treinadores nem controlamos uma equipa completa. Aqui controlamos um único jogador para tentarmos chegar ao topo do futebol mundial. Ao experimentarmos este modo fizemo-lo com a câmera “jogador” selecionada o que torna as coisas um pouco confusas pois a câmera aponta sempre para a mesma direção, variando apenas consoante a equipa estiver a atacar ou a defender. Ou seja, caso a equipa esteja a atacar mas mesmo assim quisermos recuar o jogador este vai ser visto de frente e não de costas como sería de esperar dado que estamos a utilizar uma câmera em terceira pessoa que é suposto seguir o jogador.

Cada vez mais perto da realidade 

É aqui que Pro Evolution Soccer 2019 traça a linha, é aqui que percebemos que este título é bem mais que um jogo de futebol, PES 2019 deve ser apresentado como um simulador do desporto rei. É aqui também que, infelizmente, temos que começar as comparações com FIFA. Tentamos ao máximo não o fazer, mas torna-se muito difícil deixar de lado algumas comparações.

Para um jogador de FIFA, como é meu caso desde 2014, a jogabilidade de PES 2019 parece lenta e os jogadores demoram a reagir a cada um dos lances, quase que sentimos que podemos ir fazer um chá enquanto esperamos por um corte de carrinho… Isto porque no jogo de futebol da EA SPORTS é tudo muito mais imediato, o jogo tem outro tipo de ritmo.

Deixando de parte a minha veia de jogador de FIFA, depressa me apercebi que de facto o ritmo de PES 2019 é uma reprodução fantástica da realidade de uma partida de futebol. O controlo de bola dos jogadores é intuitivo e os passes são feitos de forma natural com animações fantásticas em ambos estes casos.

Siga o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

O título da Konami apresenta-nos ainda a possibilidade de fazer substituições rápidas durante as repetições dos lances, e embora nos dê algumas sugestões é possível escolher outros jogadores a substituir de forma rápida e sem quebrar o ritmo de jogo. Podemos ainda decidir a intensidade com que queremos atacar ou mesmo recuar a equipa, para isto apenas temos que utilizar o D-PAD do nosso comando.

O grande senão deste PES 2019 é mesmo a dificuldade apresentada para fazer fintas, mesmo com os jogadores mais fortes torna-se bastante complicado dado que temos que usar sequências de movimentos com os dois analógicos, algumas vezes ao mesmo tempo. Um jogo que tem como principal foco ser um simulador de futebol deveria apresentar um sistema de fintas mais intuitivo, principalmente ao jogar com estrelas como Messi ou Philippe Coutinho.

Considerações Finais

Se ainda não perceberam isto, voltamos a repetir: Pro Evolution Soccer 2019 é de facto um simulador de futebol, sem tirar nem pôr. Se o título da EA Sports é feito para competições de eSports onde tudo se passa a um ritmo frenético, PES 2019  é concebido para viver o futebol, para sofrer com cada falta ou para se animar a cada golo marcado com os festejos nas bancadas.

Arriscamos a dizer seja o melhor jogo da franquia mas ainda tem onde melhorar, começando nas licenças de ligas, equipa e jogadores pois, como já referimos anteriormente, um título que quer ser uma referência global não se pode dar ao luxo de deixar de lado algo tão importante  para um fã de futebol como é o nome da equipa que apoia ou mesmo do seu jogador favorito.

Pro Evolution Soccer 2019 está disponível para PlayStation 4, Xbox One e Windows. A Konami deixa assim de lado a Nintendo e a sua nova consola híbrida depois de no passado ter trazido títulos como PES 6 ou PES 2012 às consolas portáteis da marca.

Esta análise foi feita em parceria com o Meus Jogos, site português dedicado aos videojogos. Este artigo será complementado, num futuro próximo, de forma a dar mais destaque aos modos online e carreira disponíveis no novo título da Konami.

N.R.: A análise de Pro Evolution Soccer 2019 foi realizada numa PlayStation 4 Pro com uma cópia do jogo disponibilizada pela EcoPlay

 

Pro Evolution Soccer 2019
Ritmo de jogo realistaDetalhes gráficos impressionantesAmbiente nos estádios
Menus pouco trabalhadosFintas demasiado complexasComentários de jogo pouco desenvolvidos
8.5EM 10
Votação do Leitor 1 Voto
8.0
Sem mais artigos