Philips Momentum 278M1R

Philips Momentum 278M1R – Análise

Não é a primeira vez que vos falo de um monitor da gama Momentum da Philips, um dos monitores que uso no dia a dia para consumir multimédia é o 558m1ry, um monitor de 55″ pensado especialmente para quem quer a experiência de monitor, mas o tamanho, e formato de uma TV. Desta vez estou aqui para vos falar do irmão mais pequeno, o Philips Momentum 278M1R.

Com resolução 4K (3840 x 2160) num painel de 27″ o 278M1R foi pensado para os jogadores de secretária que querem ligar uma consola de nova geração ao mesmo tempo que podem usar o monitor para consumo multimédia ou até para trabalho já que a resolução 4K oferece uma área de trabalho considerável.

.

O Philips Momentum 278M1R apresenta ainda características como: taxa de atualização de 60Hz, baixo input lag, suporte giratório, ajuste de inclinação, suporte de ajuste de altura, Ambiglow em 4 lados, dois altifalantes DTS Sound de 5W e ainda as seguintes portas:

2 x 2.0 HDMI
1 x DisplayPort
1 x USB-B
4 x USB 3.2

Tudo isto mostra que as opções de conectividade do Momentum são imensas, permitindo até carregar dispositivos móveis (fast charge) em duas das entradas USB (as amarelas que podem ver na galeria em baixo).

O tamanho ideal para uma secretária

É verdade que uma boa parte dos jogadores de consola preferem ter o conforto de um sofá, um monitor / TV grande e passar assim as tardes e noites a jogar. No entanto existem os jogadores que, tal como eu, preferem jogar numa secretária. Seja pelo facto de terem vários equipamentos no seu setup ou simplesmente porque preferem ecrãs mais pequenos, mas mais próximos da cadeira.

No meu caso é mesmo pelo facto de ter conectado, a este Philips Momentum 278M1R, a PlayStation 5, a Xbox Series X | S e o PC. Tudo isto ao mesmo tempo que consigo passar rapidamente as consolas para o Momentum de 55’’ caso o conteúdo seja melhor de consumir num monitor maior.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Até chegar a este monitor passei por experiências com ecrãs de 24”, 32’’ ou até um ultra-wide de 49’’. No entanto, pelo menos para a minha secretária, que tem 1,30m de comprimento, as 27’’ desta oferta da Philips são perfeitas para que o ratio ”distância | tamanho” seja o ideal. Também o design do Philips Momentum 278M1R se adapta a qualquer secretária já que é limpo para setups mais minimalistas, mas acaba por ter aquele fator “wow” com a parte traseira do monitor a estar equipada com Ambiglow nos seus quatro lados… fazendo com que os LEDs acabem por dar mais vida ao vosso setup caso queiram seguir esse caminho.

O único senão no design, quando pensamos em monitores de secretária, é o facto do único botão para controlar os menus, o volume, ou até para ligar e desligar o monitor, está colocado na parte de trás do Momentum, fazendo com que por vezes seja um pouco complicado conseguir mudar o volume, ou até uma qualquer definição nos menus. Um monitor que até permite mudar a cor de LED que usamos ou até de usar os LEDs quase que para extender a luz que sai do monitor e assim ter um maior sentido de imersão, bem… um monitor que permite fazer isto tudo deveria ter uma opção mais acessível para controlar o seu menu.

14

« de 14 »

Som equilibrado, mas complicado de ajustar

O Philips Momentum 278M1R conta com dois speakers DTS de 5W que permite replicar, de forma digital, som surround até 7.1 para uma maior imersão e embora não tenha a mesma qualidade do seu irmão de 55’’ a verdade é que os dois speakers fazem muito bem o seu trabalho. O som consegue ser rico e apresenta pouca distorção mesmo quando puxado ao máximo e tanto os graves com os agudos são equilibrados fazendo com que a experiência de ver um filme ou uma série seja agradável.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Na verdade, durante o tempo de análise a este ponto, nunca senti necessidade de mudar o som para o headset para ter uma melhor experiência… mesmo sabendo que a ia ter. Pelo que a única conclusão a que posso chegar é que o som do 278M1R encaixa na perfeição na gama de monitor que nos aqui é apresentado.

O único problema, que até já referi, é mesmo a dificuldade que é alterar o volume de som no monitor. Principalmente se o tiverem num suporte VESA encostado a uma parede.

Philips Momentum 278M1R

4K, HDR, 60Hz… tudo o que podem desejar

Bem sei que muitos de vocês vão procurar as taxas de atualização de 120Hz quando procuram uma TV, ou monitor, para vossa consola. Mas a verdade é que ainda não chegamos ao ponto, na tecnologia, onde as consolas de videojogos vão permitir ter jogos AAA a correr a 4K e 60Hz. Dito isto, um monitor 4K a 60Hz com HDR e AMD FreeSync é provavelmente tudo o que precisam para uma experiência sem qualquer tipo de problemas numa PlayStation 5 ou Xbox Series X | S.

Para além de uma excelente experiência de jogo tanto no PC como nas consolas (tenha sido em FPS, simuladores, RPGs ou até jogos desportivos) o que mais me surpreendeu no monitor, talvez por ter saltado de um QHD para este 4K foi a excelente área de trabalho que o Philips Momentum 278M1R proporciona, algo que me agrada bastante pois facilita em muito parte das minhas tarefas do dia a dia que envolvem edição de imagem e som, mesmo se precisar de ter uma janela aberta ao lado para conseguir aceder a outro tipo de informação.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

Na parte que vos trouxe até aqui, os videojogos, o que vos posso dizer é que após alguns meses a utilizar este Philips Momentum 278M1R, fiquei com vontade de comprar um para mim. Mesmo com a limitação do HDMI 2.0 ou dos 60Hz a verdade é que o monitor apresenta um excelente tempo de resposta e o input lag é virtualmente inexistente. A imagem, com recurso ao HDR e aos vários modos que podemos escolher, apresenta-se com excelentes níveis de contraste o que permite, por exemplo, perceber alguns detalhes quando jogam algo com cenas mais escuras, ou quando a vossa opção é ver um filme de terror.

Mas há mais. Atrás da secretária que uso no dia a dia tenho uma janela, o que pode fazer com que em dias mais claros seja complicado jogar ou até ver uma série. A luminosidade de
350  cd/m² deste Momentum ajudou a que este tipo de tarefas passa-se a ser suportável. É claro que alguns detalhes ficam perdidos, ou mais complicados de perceber, mas a luminosidade apoiada no bom nível de contraste fazem com que, mesmo em salas com mais luz natural, o Philips Momentum 278M1R se porte muito bem.

patreon

Considerações Finais

O Philips Momentum 278M1R é um monitor capaz de tudo um pouco. Uma boa escolha para videojogos e multimédia já que apresenta-se com uma resolução 4K a 60Hz e vem ainda equipado com HDR, mas é também uma boa escolha para as tarefas do dia a dia ou para algo mais específico como edição de imagem ou som.

Segue o Future Behind: Facebook | Twitter | Instagram

A chegar às lojas por €449 o 278M1R possibilita a ligação de três dispositivos através das suas duas ligações HDMI e uma DisplayPort, o que é excelente para setups com mais que uma consola e ainda PC. O Ambiglow é uma adição que em nada altera a qualidade de imagem do monitor, mas acaba por nos dar uma sensação de imersão maior do que com um monitor tradicional.

Se estão em busca de um novo companheiro para as vossas consolas, têm no Philips Momentum 278M1R uma excelente escolha.

rating recomendado

+ Excelente nível de contraste e luminosidade
+ Som bastante equilibrado
+ Número de portas para conexão de equipamentos
+ Input lag não percetível

– Botão único para controlar tudo está mal posicionado

N.R.: A análise ao Philips Momentum 278M1R foi realizada com acesso a uma unidade do equipamento cedida pela Philips

O Future Behind em "Dark Mode"